Dezembro Vermelho: Novos estudos geram expectativa para cura da AIDS

HIV

Durante a década de 80, a AIDS passou a ser reconhecida como doença, assim como seus possíveis fatores para transmissão e diagnósticos. Em 1991, no exterior, iniciou-se o processo de aquisição e distribuição gratuita de medicamentos antirretrovirais capazes de dificultar a multiplicação do HIV no organismo.

No Brasil, desde 1996, é realizada a distribuição gratuita de medicamentos para tratamento do vírus pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que a partir de 2013, garantiu o tratamento para todas as pessoas portadoras do HIV. Atualmente, existem 19 medicamentos que podem fazer parte do coquetel diário utilizado para retardar o processo de infecção.

Ainda não há cura para a AIDS, porém um estudo recente mostra avanço nos medicamentos. Nesta segunda (29), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o tratamento contra HIV que reúne, em dose única, dois antirretrovirais que poderão ser utilizados como tratamento completo contra a infecção em adultos e adolescentes maiores de 12 anos e com no mínimo 40 kg.

Outro estudo realizado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), evidencia o primeiro caso de remissão a longo prazo do HIV, a partir da administração medicamentosa. Nesse caso, o paciente que recebeu o diagnóstico positivo, em 2012, ficou mais de 57 semanas sem sinais do vírus no corpo.

Conheça outros estudos que mostram a evolução para o tratamento contra o HIV/AIDS:

• Estudo Partner: Sob tratamento com o coquetel antirretroviral, o estudo relatou zero transmissões do vírus de um parceiro positivo, para outro negativo.

• Faculdade de Medicina da USP (FMUSP): Mostrou ser possível a resposta imune de recém-nascidos contra o vírus HIV, por meio de estímulos em células advindas do cordão umbilical.

Para mais informações sobre o tema continue acompanhando o Blog Vida Saudável!

Ampliar fonte
Contraste