Pró-Saúde encerra gestão do Hospital Estadual de Urgência e Emergência

Com cerca de 2 milhões de procedimentos e mais de 30 mil cirurgias realizadas, gestão da entidade filantrópica deu relevância estratégica para hospital que é referência em traumatologia no Estado capixaba

A Pró-Saúde encerra neste dia 18 de dezembro a gestão no Hospital Estadual de Urgência e Emergência (HEUE), em Vitória, no Espírito Santo. O contrato teve início em 2015, quando a entidade filantrópica foi declarada a vencedora do chamamento público realizado pelo governo estadual, assumindo o hospital que estava sob intervenção do Estado, com sérios problemas de gestão.

Em cinco anos de trabalho, a entidade filantrópica — que é uma das maiores do país — foi responsável pela realização de 26.669 cirurgias e 34.308 internações, além de 1,9 milhão de procedimentos, entre exames de laboratoriais e de imagem. No Pronto-Socorro, implantado no hospital em dezembro de 2016, foram 181.938 atendimentos de urgência e emergência.

“O mais importante desse trabalho foi o reconhecimento de pacientes e acompanhantes”, resumiu o diretor corporativo de Operações da Pró-Saúde, Danilo Oliveira da Silva. Neste ano, o instituto Datafolha realizou uma pesquisa, encomendada com exclusividade pela Pró-Saúde, em que aponta 90% de satisfação dos usuários atendidos no Hospital Estadual de Urgência e Emergência.

Esse dado, prossegue Danilo, mostra que o trabalho feito pela Pró-Saúde deu relevância estratégica para um hospital que, até dezembro de 2015, enfrentava uma intervenção judicial.

“Assumimos a gestão do hospital em um momento difícil. Os colaboradores estavam inseguros e a unidade sob intervenção do Estado por problemas de gestão da antiga administradora”, lembrou o diretor de Operações. Naquela oportunidade, ele acrescentou, além de dar nova dinâmica à gestão do hospital, a entidade filantrópica, em um ano de trabalho, aumentou a capacidade de atendimento, a um custo 20% menor que do Estado.

Hoje, observou Danilo, além do trabalho reconhecido, conforme demonstra a pesquisa Datafolha, o hospital consolidou um modelo robusto de processos assistenciais e de operação altamente profissionalizados e eficazes.

Sob gestão da Pró-Saúde, o hospital conquistou a segunda mais importante certificação de qualidade do país, a Acreditado Pleno, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), entidade sem-fins lucrativos associada à uma rede mundial que avalia os serviços de saúde.

O HEUE também foi o primeiro no Espírito Santo a publicar um relatório de sustentabilidade nos padrões Materiality Disclosures, emitido pela Global Reporting Initiative (GRI), entidade sem fins lucrativos sediada na Holanda, que estimula e reconhece, em escala mundial, a inclusão de práticas sustentáveis em organizações públicas, privadas e do terceiro setor.

Várias outras iniciativas implantadas no hospital resultaram em ganhos importantes. Desde 2016, a unidade é reconhecida pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) pelos bons resultados alcançados na gestão de indicadores de qualidade e desempenho nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Outro exemplo foi a implantação do programa Lean nas emergências. Trata-se de um processo realizado em parceria com o Hospital Sírio-Libanês que reduziu a incidência de superlotação nas urgências e emergências. À época da implantação do Lean, em 2018, o HEUE ficou entre os cinco melhores no Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde.

A gestão da Pró-Saúde também chegou a ser reconhecida pelo próprio governo estadual como a que apresentou o melhor resultado financeiro e assistencial entre as instituições de gestão de saúde que atuam no Espírito Santo, no âmbito do serviço público.

“Hoje, o Hospital Estadual de Urgência e Emergência possui estruturado processos assistenciais que visam a segurança do paciente e, também, o atendimento humanizado. É claro que existem desafios e oportunidades de aperfeiçoamento”, disse o diretor de Operações.

Ele citou como exemplo a questão da alta quantidade de encaminhamento de pacientes para o Pronto-Socorro, prática que resulta em picos de sobrecarga no atendimento. “Mesmo assim, todos os doentes, durante a gestão da Pró-Saúde, receberam assistência”, destacou.

À essa estrutura robusta, o diretor também destaca o investimento no processo de melhoria contínua dos colaboradores. “Durante a gestão, a Pró-Saúde implantou o Núcleo de Educação Permanente, que realizou mais de 1.696 treinamentos para o aperfeiçoamento da equipe técnica.”

Esses treinamentos seguiram a conduta do atendimento humanizado, por meio do qual, a partir do engajamento do corpo de colaboradores, desenvolveram vários projetos com a criação do Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) — ações de amparo emocional, promoção de prevenção em saúde, integração de acompanhantes e iniciativas voltadas para os colaboradores.

Com possibilidade de renovação por mais 5 anos, o governo estadual propôs à instituição apenas seis meses adicionais. Não houve acordo porque a proposta desconsiderou itens importantes para a Pró-Saúde, como o reequilíbrio financeiro do contrato que estava com déficit e gerando prejuízos financeiros para a entidade filantrópica, além da quitação de despesas extras relativas ao atendimento a casos de covid-19, não pagos pelo estado.

O diretor de Operações também ressaltou que todos os resultados foram possíveis em razão da parceria com os médicos e colaboradores, “profissionais que se dedicaram muito para que o HEUE voltasse a ser protagonista na rede de urgência do Estado”. Ele disse, ainda, que a entidade filantrópica, de acordo com requisitos legais, já enviou todas as pendências financeiras à SESA (Secretaria de Estado da Saúde), conforme previsto em contrato, e torce para que o Estado efetue os devidos repasses para que todas as despesas do hospital, no período, sejam devidamente quitadas.

Sobre o Hospital Estadual de Urgência e Emergência

O Hospital Estadual de Urgência e Emergência conta com 40 leitos de UTIs, 14 de Unidade de Alta Dependência de Cuidados (UADC) e 121 leitos de enfermaria. O serviço também possui um ambulatório de especialidades cirúrgicas para pacientes que precisam de reavaliações, serviço de imagem com raio X, tomografia, ultrassonografia, ecocardiografia, ecodoppler, endoscopia e colonoscopia, além de um Pronto-Socorro, aberto em dezembro de 2016.

Ampliar fonte
Contraste