Pró-Saúde 50 anos

Resgatar a trajetória de 50 anos da Pró-Saúde em um livro não é uma tarefa simples, por todas as inúmeras e distintas realizações que esta histórias traz em si.

Em 1967 a Pró-Saúde deu início às suas atividades, na cidade de João Monlevade, em Minas Gerais, sendo fundada sob o nome de Associação Monlevade de Serviço Social (AMSS).

O primeiro presidente da instituição foi o padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e pioneiro na criação de cursos de administração hospitalar no País.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço.

20 ANOS
ANTES
DO SUS

Um marco na saúde pública do país foi a “Constituição Cidadã”, que introduziu o Sistema Único de Saúde (SUS) em 1988, e o regulamentou dois anos mais tarde, com as Leis nºs 8.080/1990 e 8.142/1990. A partir daí, a saúde passou a contar com iniciativas desenvolvidas pela União, pelo Estado, pelo Município e pelo setor privado, eventualmente contratado, para uma gestão mais eficaz.

Nessa época, a Pró-Saúde já possuía mais de 20 anos de expertise, iniciando suas atividades em 1967. A primeira unidade de saúde administrada foi o Hospital Margarida, em 1975, em João Monlevade (MG). Com um trabalho de gestão sério e eficiente, foi possível reestruturar todas as instalações da unidade, ampliando a quantidade de leitos destinados à população atendida.

O tempo passou e a atuação da entidade cresceu. Em 1996, um novo estatuto transformou a Associação Monlevade de Serviço Social em Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, uma entidade filantrópica, sem fins-lucrativos, fato que fortaleceu sua missão de atender e de cuidar da saúde dos brasileiros.

Já naquela época, a Pró-Saúde administrava 20 hospitais públicos, em quatro Estados do País.