Pesquisador aponta a imaginação como forma de educação às crianças

Gandhy Piorski propôs debate sobre as narrativas da infância e seus artefatos, brinquedos e linguagens durante o 9° Seminário de Educação Infantil promovido pela Pró-Saúde na última sexta-feira (25)

Durante o 9° Seminário de Educação Infantil, realizado nesta sexta-feira, 25/10, e promovido pela Pró-Saúde, um dos destaques do evento foi a importância das brincadeiras, com elementos da natureza, como forma de estímulo às crianças na busca pelo conhecimento.

O Seminário, voltado aos profissionais de quatro Centros de Educação Infantil (CEIs), localizados na zona Leste da cidade de São Paulo, apresentou a pesquisa do educador e artista plástico Gandhy Piorski, autor do livro Brinquedos do chão: a natureza, o imaginário e o brincar, que conduziu uma palestra focada na questão da imaginação das crianças.

Há mais de 20 anos que Piorski estuda o brincar e o brinquedo por meio do manejo de elementos da natureza, como pedras, madeira, folhas, entre outros. Para o educador, o diálogo com esses materiais, em conjunto com a força imaginativa, conduz as crianças a conhecer experiências estruturantes para a sua vida.

“A gente precisa olhar com urgência na educação infantil esse modo com o qual elas se relacionam com o mundo e quais faculdades elas usam para dialogar com a vida, com a sociedade, com a realidade de suas culturas, com as famílias, com o meio urbano e com a natureza. As proposições pedagógicas precisam conhecer mais a natureza da vida imaginária e o que esse universo onírico das crianças diz respeito sobre e para o mundo”, diz Piorski.

De acordo com o seu estudo, a imaginação é uma forma da criança dialogar com a vida, possibilitando uma organização sensorial mais profunda. A palestra teve o objetivo de apresentar meios de compreender o comportamento da imaginação, sua organização e como aplicá-la, além de como desenvolver pedagogicamente este fator tão importante na infância.

O evento foi realizado no teatro do Centro Educacional Unificado (CEU) Jambeiro, tendo o tema “Infância: O que te encanta”. O encontro visou a troca de experiências e o aprimoramento profissional de cerca de 150 colaboradores que atuam diariamente nessas unidades educacionais. Nas quatro unidades, os profissionais são responsáveis diariamente por protagonizar o estímulo ao conhecimento em cerca de 750 crianças de zero a cinco anos.

Os CEIs Lageado, Jardim São Jorge, Jardim Eliane e Santa Rita são gerenciados pela Pró-Saúde desde 1998, por meio de parceria firmada com a Prefeitura de São Paulo e a Secretaria Municipal de Educação. O evento também contou com a participação da Supervisora Escolar (DRE) Itaquera, Gidalva Santos Santana, representando a Secretaria Municipal da Educação. Também participou a representante da Comunidade Educativa (CEDAC), Luciana Cruz.

A abertura do Seminário foi realizada pelo coordenador Corporativo da Pastoral da Saúde, o bispo emérito Dom Antônio Carlos Altieri, que destacou a importância do trabalho realizado pela Pró-Saúde. “Nós apresentamos a vida acadêmica para essas crianças e desejamos que as marcas e memórias afetivas sejam as melhores, pois irão carregar isso pelo resto da vida. As crianças são o bem mais precioso da humanidade – são o presente e o futuro. Nelas, está a possibilidade de cultivarmos a esperança de um futuro melhor”, ressaltou.

A programação contou ainda com uma atividade em capacitação, realizada por Uirá Kuhlmann, consultor em educação musical ativa para educadores. A ação buscou proporcionar a oferta de recursos e técnicas utilizando materiais para a exploração sonora e musical, por meio de dinâmicas musicais com objetos da infância, de forma ativa e lúdica.

“O 9° Seminário de Educação Infantil realizado pela Pró-Saúde proporcionou a troca de experiências a pode reforçar o nosso papel no desenvolvimento integral das crianças por meio das brincadeiras e interações entre os pequenos, incentivando a convivência, criatividade, imaginação e o afeto também como forma de aprendizado. O evento ainda trouxe reflexões importantes sobre o papel do educador e de como podemos melhorar em nossas atividades”, Regina Victorino, gerente de Filantropia da Pró-Saúde.