Home » Metropolitano comemora 8 anos

Metropolitano comemora 8 anos

O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), de Ananindeua (PA), comemorou nesta segunda-feira oito anos de atividades, computando resultados positivos da sua operação em 2013. 

 

Os dados apurados revelam que em alguns itens do contrato com a Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), as metas foram extrapoladas. Fato comemorado foi o anúncio de que ainda neste semestre será implantado o programa de Residência Médica.

A comemoração dos oito anos foi marcada com missa (pela manhã) e uma reunião festiva à tarde desta segunda-feira, 16, dirigida pelo novo diretor do hospital, Rogério Kuntz. O evento da tarde foi prestigiado pelo Secretário de Estado de Saúde, Hélio Franco e executivos secretaria, além de colaboradores e lideranças do hospital.

O HMUE, localizado em Ananindeua, faz parte de uma rede de sete hospitais de média e alta complexidade localizados em regiões estratégicas do Estado. Administrados por Organizações Sociais (OS), esses hospitais fazem enorme diferença no cenário da saúde pública paraense, principalmente nas áreas da ortopedia, traumatologia, cardiologia e oncologia, com um custo-benefício significativo para o Estado quando comparado com outros hospitais.  “Eles têm alta resolutividade médica e a satisfação dos pacientes é elevada, tal a qualidade dos serviços médicos que prestam”, diz Hélio Franco.

 

 

Modelo de gestão

 

Os resultados operacionais do HMUE atestam a validade da gestão por Organização Social. O secretário garante que o modelo, já consolidado nos hospitais regionais, vai ser ampliado: o próximo hospital a entrar em operação dentro de algumas semanas – o Galileu, também na Região Metropolitana – será também administrado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar. O hospital Abelardo Santos, que o Estado constrói em Icoaraci, também vai ser gerenciado segundo esse modelo. “Não temos outra solução melhor e a Lei de Responsabilidade Fiscal, que impede ampliar os custos da folha de salários do Estado, obriga o governo a adotar essa opção”, diz Hélio Franco.

A SESPA tem contrato com OSs para operação de sete hospitais públicos. Além do Metropolitano; a Pró-Saúde opera os hospitais de Marabá, Altamira e Santarém. A OS é uma instituição filantrópica com mais de 45 anos de serviços em todo o Brasil, operando atualmente em 12 estados, gerando de 20 mil empregos diretos.

 

 

Resultados do HMUE

 

Os resultados da qualidade gerencial refletem-se na execução das metas contratadas. Os hospitais de Santarém, Marabá, Altamira e o Metropolitano têm ultrapassado as metas contratuais, gerando indicadores positivos para a saúde pública paraense.  E isso se reflete na satisfação dos usuários, com médias acima de 80 por cento ou 90 por cento em todos os hospitais operados pela Pró-Saúde. O secretário destacou o índice de satisfação do Metropolitano que, atualmente, atinge 95 por cento (a medição é feita com pacientes de alta e por meio do Serviço de Atendimento ao Usuário).

Ano passado, o HMUE fez 11.239 cirurgias e 29.596 atendimentos de urgência e emergência, ultrapassando em 17% a meta estabelecida sob contrato pela Sespa; as consultas ambulatoriais totalizaram 16.751, significando que a meta estabelecida pelo governo foi cumprida integralmente; as altas hospitalares chegaram a 9.932, representando que o número de internados ultrapassou em 42% o previsto no contrato com a Pró-Saúde. “Os dados apurados no primeiro bimestre revelam o mesmo desempeno; o volume de atendimentos continua no mesmo ritmo, garantindo o pleno cumprimento das metas contratadas”, diz o diretor do HMUE, Rogério Kuntz.

 

 

Residência é próximo passo

 

Visando um novo salto e a ampliação de suas atividades, o Metropolitano está se preparando para abrir o programa de Residência Médica, ainda neste primeiro semestre. “As tratativas com a SESPA estão bem  adiantadas; a Residência será um estágio fundamental para ampliarmos a qualidade dos serviços hospitalares, ao tempo em que contribui para melhorar e ampliar a formação de profissionais médicos no Estado”, acrescenta o diretor. Serão abertas vagas para  formandos de medicina nas áreas da traumato-ortopedia, cirurgia do trauma, medicina de urgência e cirurgia geral.

O HMUE será o segundo hospital da rede de Regionais administrado pela Pró-Saúde, a dispor de vagas para Residência Médica. Na semana passada, um grupo de médicos concluiu em Santarém, a etapa da Residência Médica no Hospital Regional de Santarém, consolidando no Oeste do Pará a formação acadêmica por meio da Universidade do Estado do Pará (UEPA).

Ampliar fonte
Contraste
Voltar para o topo da página - Pró-Saúde