Home » Hospital Regional leva alegria no Dia do Enfermo

Hospital Regional leva alegria no Dia do Enfermo

Passar dias ou até meses internado em um hospital é uma experiência das mais angustiantes para qualquer pessoa. E só a o apoio e a presença dos amigos e familiares, além dos profissionais de saúde e voluntários, ajuda o paciente o doente a se sentir mais confortado. Proporcionar estado de acolhimento e apoio é uma das metas do Grupo de Trabalho e Humanização do Hospital Regional do Sudeste do Pará (HRSP), em Marabá (PA).

Na terça-feira (14), por ocasião do Dia do Enfermo, os pacientes internados no hospital, gerido pela Pró-Saúde, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), participaram de momentos de descontração, brincadeiras e ouviram palavras de conforto graças a uma parceria do HRSP com o grupo católico de música e teatro “Anjos da Graça”, da Igreja Católica.

Jovens divertidos e comprometidos com o amor ao próximo visitaram os leitos levando mensagem de fé, proporcionando momentos de descontração aos pacientes e seus acompanhantes. A rigor, é um tratamento alternativo chamado de “risoterapia” e “musicoterapia”.

Além do tratamento hospitalar que recebem, os pacientes aprovam esse tipo de atividade. “Só tenho coisas boas para dizer: pois quando cheguei aqui fiquei numa tristeza muito grande, mas agora consigo sorrir novamente, graças a essas pessoas maravilhosas”, Meg de Oliveira Pereira, paciente internada há quase dois meses.

Com níveis de aprovação acima de 90 por cento, o hospital proporciona, com esse tipo de atividade, possibilidades de atenuar o sofrimento de pacientes e acompanhantes. “Desde a entrada no hospital, na portaria, até os médicos, o atendimento tem sido diferenciado, aqui; e a presença dos ‘Anjos da Graça’ nos dá mais força ainda”, afirma Karine dos Reis Leal, que acompanha a prima, internada no HRSP.

Segundo a enfermeira Karla Luz, coordenadora do Grupo de Humanização do HRSP, a avaliação de impacto das atividades realizadas no Dia do Enfermo, nos anos anteriores, indica que os usuários ficam mais ativos, motivados e falantes; apresentam evidências clínicas de melhora e aceitam com mais facilidade os medicamentos e se alimentam melhor.

“O Dia do Enfermo chama todos os profissionais de saúde, familiares e amigos dos usuários a redobrarem o carinho e o afeto, uma vez que, para se reabilitarem, os indivíduos necessitam muito mais que métodos técnicos e medicamentos. Prova-se que o bem estar psicológico e mental é imprescindível para uma recuperação menos dolorosa e mais rápida”, afirma Karla Luz.

Ampliar fonte
Contraste
Voltar para o topo da página - Pró-Saúde