Hospital Regional de Santarém recebe homenagem por desenvolver trabalho de excelência em educação hospitalar na Amazônia

O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, foi homenageado com a placa “Educador da Amazônia”, concedida pelo curso de Pedagogia do Instituto Esperança de Ensino Superior (Iespes), durante o III Seminário de Educação na Amazônia. O HRBA, unidade do Governo do Pará, gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, recebeu a premiação em virtude dos relevantes serviços da educação hospitalar, prestados à uma população estimada em mais de 1,1 milhão de pessoas, residentes em 20 municípios do Oeste do Pará.

A homenagem foi recebida pela pedagoga e, coordenadora da Diretoria de Ensino e Pesquisa (DEP) do HRBA, Claudiléia Galvão. “Essa homenagem representa o reconhecimento a todo o trabalho direcionado à formação profissional desenvolvido nos últimos anos em Santarém, o que tem contribuído significativamente com a melhoria dos serviços prestados à sociedade. É também o prestígio do trabalho desenvolvido por todos os pedagogos que atuam no hospital, levando ao paciente um direito que lhes é garantido por lei: a educação”, agradeceu.

Ensino e Pesquisa

O desenvolvimento do ensino e da pesquisa no HRBA tem conquistado mais espaço a cada dia. A unidade iniciou os serviços na área, com a inserção das residências médicas e acesso dos estudantes de Medicina ao estágio curricular, que foi estendido aos demais cursos da saúde, posteriormente.

No campo da Residência Médica, o HRBA, desde o início do programa, já formou 65 médicos em diversas especialidades, levando em consideração o tempo de formação da residência que pode ser de 2 a 5 anos. Deste total, 42% atuam na região. Atualmente, a instituição está com 45 residentes médicos, distribuídos em 13 especialidades.

Hospital Ensino

Cerificado como Hospital Ensino pelo Ministério da Saúde desde 2014, o HRBA é referência não apenas na região Norte do País. A unidade já foi local de intercâmbio para estudantes de medicina do Paraguai, Espanha, Bélgica e Bolívia.

Em fevereiro deste ano, o HRBA inaugurou o Centro de Estudos e Pesquisas (CEP). O complexo, que conta com laboratórios, espaço para avaliação física e salas de aula e de reunião, é o primeiro centro a funcionar dentro de um hospital, na Amazônia. O objetivo é oferecer uma formação mais completa aos novos profissionais e, também, desenvolver estudos na região, que proporcionem melhor qualidade de vida à população.

“Além de ser um hospital que possui excelência na qualidade e assistência aos seus pacientes, o HRBA também tem uma função nobre, que é formar profissionais. Temos grandes desafios na nossa região, muitas vezes com municípios que não dispõem de médicos. Estamos desenvolvendo fortemente parcerias para o desenvolvimento de pesquisas na área de saúde. O reconhecimento do trabalho realizado também na educação, representa o sucesso de um serviço consistente, que só traz benefícios à sociedade”, afirma o diretor Hospitalar, Hebert Moreschi.

Outros projetos educacionais

Além das residências médicas e multiprofissionais, o HRBA conta com outras iniciativas na área da educação que beneficiam diretamente pacientes, como a Classe Hospitalar, espaço que tem todas as características de uma sala de aula comum, que visa, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação do Pará (Seduc), ampliar o atendimento educacional às crianças que realizam atendimento na unidade.

A unidade desenvolve também o Projeto Ensino, Cultura e Saúde, que disponibiliza à pacientes e acompanhantes uma biblioteca itinerante com diversificadas obras literárias. Conta ainda com o ABC brincando no HRBA, projeto realizado em parceria com o Iespes, que promove atividades de leitura, contação de histórias, pinturas e jogos educativos às crianças em tratamento.

“A educação vem para somar com o tratamento terapêutico, uma vez que, no momento em que os pacientes estão recebendo assistência educacional, tiram o foco do tratamento ou da patologia a que está acometido, apresentando melhora significativa”, reiterou Moreschi.

Amazônia

Presente nas cinco regiões do Brasil e acostumada a gerenciar hospitais de grande porte nas capitais, a Pró-Saúde, há mais de duas décadas, realiza a gestão de unidades de saúde na região Amazônica. Com 52 anos de existência, é responsável pelo gerenciamento de 14 hospitais só na região da floresta. A entidade filantrópica está presente nos estados do Mato Grosso, Pará, Rondônia, Amapá e Acre. Ao todo, concentra 916 médicos, de diversas especialidades, em lugares remotos como Guajará-Mirim (RO), Cáceres (MT), Parauapebas (PA), Canaã dos Carajás (PA), Oriximiná (PA), Altamira (PA) entre outros.