Hospital Regional de Santarém está preparado para receber casos graves de Coronavírus da região Oeste do Pará

Equipe da unidade está capacitada para recebimento dos casos; unidade conta com plano de contingência para garantir segurança e assistência de qualidade diante de um possível aumento de demanda

O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), gerenciado pela Pró-Saúde em Santarém, é uma das unidades definidas pela Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), como hospital de referência para recebimento de casos suspeitos graves do novo Coronavírus (Covid-19), no Pará. Atento a situação da pandemia no Brasil e no mundo, o HRBA avança na capacitação das equipes e preparo da estrutura para enfrentar possíveis casos da doença na região Oeste do estado. A unidade, que está entre os dez melhores hospitais públicos do Brasil, é reconhecida pelos atendimentos de média e alta complexidade, com destaque para tratamento oncológico, onde é referência para toda a região Norte do país.

Para garantir uma assistência organizada, o HRBA, unidade do Governo do Pará que presta atendimento 100% gratuito, elaborou um Protocolo Clínico (atualizado continuamente), por meio do Núcleo de Hospitalar de Epidemiologia (NHE) e Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), que estabelece um fluxograma e diretrizes específicas para atendimento de pacientes com casos suspeitos e/ou confirmados da doença (Covid-19).

O HRBA possui ainda um plano de contingência que poderá ser colocado em prática, caso identificado um aumento significativo de demanda. Ele prevê, entre outras coisas, a instalação de tendas ao ar livre no jardim e no estacionamento do hospital, para evitar aglomerações nas recepções do ambulatório de consultas, oncológico e na hemodiálise.

Desde o início de fevereiro, quando o assunto começou a tomar relevância no país, o Hospital Regional adotou uma série de precauções necessárias antecipadamente. No dia 7 de fevereiro realizou o primeiro treinamento com a equipe assistencial, com a simulação de chegada de paciente com suspeita de infecção grave. Com treinamentos contínuos, os colaboradores são orientados periodicamente sobre a identificação de caso suspeito, fluxograma de recebimento de pacientes e uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

“Somos referência para o tratamento de pacientes com covid-19 suspeito ou confirmado, com indicação de internação e casos graves. Reservamos para este atendimento, dois leitos de isolamento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e mais 10 leitos nas unidades de internação. Esses leitos foram preparados exclusivamente para esta finalidade, neste momento. Adotamos todas os cuidados necessários antes do crescimento do Coronavírus no país e abastecemos o HRBA com EPI’S (máscara cirúrgica, avental impermeável, luva de procedimento, touca, óculos de proteção e máscara N95). Criamos um fluxo de atendimento de forma a preservar a integridade do paciente para que ele seja bem assistido, e também preservar a segurança do profissional de saúde”, reforça o diretor Hospitalar, Hebert Moreschi.

Funcionamento do hospital

No momento, dada a situação epidemiológica local, o Hospital Regional de Santarém segue funcionando normalmente, sem interrupções aos atendimentos prestados aos pacientes, conforme recomendação da Sespa e do Ministério da Saúde.

Para evitar a circulação de pessoas com provável exposição ao vírus, e para não colocar em risco pacientes mais vulneráveis (idosos, diabéticos, hipertensos, quem tem insuficiência renal crônica, quem tem doença respiratória crônica, quem tem doença cardiovascular), o hospital está aplicando questionários em todas as suas recepções para identificar se acompanhantes ou visitantes vieram de locais com transmissão comunitária e/ou apresentam sintomas respiratórios, para tomar as devidas medidas de precaução necessárias.

Orientações gerais 

O HRBA reforça as medidas de prevenção, que devem ser adotadas por todos para conter a propagação da doença:

– Se realizou viagens para fora do estado ou do país, permaneça em quarentena domiciliar (fique em casa sem receber visitas, durma em cama separada e não compartilhe materiais de higiene pessoal) por sete dias, mesmo que assintomático;
– Evite frequentar reuniões sociais ou locais fechados com aglomeração de pessoas;
– Evite visitar pessoas internadas, principalmente se voltou de viagem recentemente ou apresente sintomas respiratórios;
– Higienize as mãos frequentemente com água e sabonete ou álcool em gel;
– Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com a parte interna do cotovelo;
– Evite tocar nariz, olhos e boca antes de limpar as mãos;
– Se voltou de viagens e apresentou sintomas respiratórios, procure atendimento na UPA 24 Horas ou em Unidades Básicas de Saúde (UBSs);
– Apenas compartilhe informações de fontes confiáveis e seguras. Evite propagar boatos ou notícias falsas – as fake news.

Ampliar fonte
Contraste