Hospital Regional de Altamira reaproveita mantas de SMS para evento sobre bebês prematuros

No dia 30/11, às 16h, acontecerá nas dependências do Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira, no sudoeste do Pará, a terceira edição do Encontro da Prematuridade. Será um momento de conversa e troca de experiências entre as mães que estão com filhos em recuperação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital e outras mães e crianças que já vivenciaram esta situação.

“Queremos propiciar essa conversa das mães com outras que já passaram por isso – de estar com o bebê prematuro em tratamento. É interessante que elas vejam as crianças, que antes eram bebês prematuros, com baixo peso, e agora são saudáveis, com um desenvolvimento adequado à idade”, explica a coordenadora das UTI’s pediátrica e neonatal do HRPT, Renata Chiquetti.

Para a realização deste encontro, uma estrutura será montada na área externa do hospital, onde fica o jardim. Para receber as mães e as crianças, a unidade confeccionou um tapete que será colocado em cima da grama e almofadas, que darão mais conforto aos participantes. Este material foi todo produzido a partir da reciclagem das mantas de SMS, que são utilizadas para proteger e manter o processo de esterilização das caixas de instrumentos cirúrgicos.

Foram cerca de 125 mantas reaproveitadas para confeccionar apenas o tapete, que tem 10,7 metros de comprimento por 8,4 metros de largura e foi produzido com camada dupla. Para se ter uma ideia, uma manta é usada para embalar uma caixa cirúrgica, ou seja, o material reaproveitado equivale ao utilizado em 125 cirurgias. As 12 almofadas completam a confecção, que durou cerca de 20 dias para terminar.

A responsabilidade de produzir todo este material foi da costureira da unidade, Francélia Macieira. Ela fala sobre o longo período dedicado à confecção e conta que o tapete, pelo tamanho e peso, foi o que deu mais trabalho. “Foram cerca de 20 dias fazendo. O mais trabalhoso foi montar o tapete, porque primeiro fiz várias tiras e depois fui unindo tudo, aí ficou bem pesado. A manta é bem leve, mas como foram muitas, e ainda em camada dupla, o material acabou pesando”.

O tapete e as almofadas foram todas confeccionadas em tons de roxo, que é a cor alusiva ao Dia Mundial da Prematuridade – comemorado em 17/11 – e que ilustra a campanha. O roxo simboliza a sensibilidade dos bebês prematuros – aqueles que nasceram antes das 37 semanas de gestação.

Hospital Amigo do Meio Ambiente

Gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar desde a sua inauguração, em 2006, por meio de contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o Hospital Regional Público da Transamazônica busca sempre iniciativas que promovam o reaproveitamento de materiais e a sustentabilidade.

O projeto de reutilização das mantas de SMS, inclusive, já é uma realidade há mais de um ano. Em média, 150 quilos do material são reciclados, virando bolsas, sacolas, rampers, lençóis e aventais. A iniciativa dá destino aos materiais que seriam descartados e ainda gera economia à unidade – as sacolas retornáveis garantem a redução de um rolo de sacos plásticos por mês, no setor de guarda-volumes, por exemplo.

Por essa e outras ações, o HRPT recebeu em outubro o Prêmio “Amigo do Meio Ambiente”, da Secretaria de Estado de Saúde paulista. O diretor Operacional da Pró-Saúde no Pará, Paulo Czrnhak, explica que a entidade tem na sustentabilidade um princípio e que busca fomentar o desenvolvimento sustentável nas unidades que gerencia. “Quando nos preocupamos com o meio ambiente, o maior beneficiado é o cidadão, afinal, as boas práticas contribuem para a redução de doenças, e assim, há mais prevenção, sendo possível, viver melhor. E nós, queremos contribuir para a educação em saúde, de forma que todos tenham essa cultura de que o melhor remédio é a prevenção”, afirma o diretor.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of