Hospital Galileu inicia atendimento a pacientes que necessitam de traqueoplastia

O sábado começou diferente para Adriano Félix de Souza Silva, morador do município de Ananindeua. O trabalhador autônomo, que em 2013 foi vítima de acidente com arma de fogo, recebeu hoje a notícia de que no próximo mês vai realizar a cirurgia de traqueoplastia. “Quando eu cheguei no hospital, eu não imaginava que já sairia daqui com a data da minha cirurgia. Graças a Deus, eu estou muito feliz e cheio de planos, um deles é poder aproveitar mais a infância da minha filha”, diz o jovem de 24 anos, que adquiriu estenose de vias aéreas após ter ficado um mês e 15 dias entubado, só conseguindo respirar após a traqueostomia, que consiste na abertura de um orifício na traqueia e na colocação de uma cânula para a passagem de ar.

Assim como Adriano, outras sete pessoas estiveram na manhã do último sábado, 22/10, no Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), situado em Belém, para uma primeira avaliação cirúrgica. A partir de agora, todos os sábados, por pelo menos seis meses, a unidade hospitalar vai atender pacientes com esse perfil, desde a primeira consulta até o procedimento cirúrgico, denominado de traqueoplastia. A cirurgia consiste na resolutividade definitiva para tratamento da estenose de via aérea, possibilitando que essas pessoas respirem sem a necessidade do uso da cânula de traqueostomia.

Quem também saiu do hospital comemorando, foi o caminhoneiro Fabrício da Silva Correa, que em 2013 foi vítima de acidente de moto. “Graças a Deus estou cada vez mais perto do dia da cirurgia, e de enfim voltar a ter uma vida normal, sem precisar de tantos cuidados, e principalmente, voltar a falar normalmente” diz entusiasmado, após realizar a avaliação com os médicos, marcar a cirurgia para início de novembro e ainda realizar todos os exames pré-operatório. “Nossa, foi tudo em apenas uma manhã, agora só esperar o grande dia”, comemora.

Segundo o médico cirurgião torácico, Marco Antônio F. Tavares, que faz parte da equipe responsável pelo atendimento especializado no Hospital Galileu, a estenose de via aérea geralmente é desenvolvida em pacientes que sofreram algum traumatismo, e em algum momento precisaram de uma via aérea artificial para continuar respirando. “Geralmente, o paciente que foi entubado tende a desenvolver estenose, que quer dizer o estreitamento da via aérea, muitos não desenvolvem, mas aqueles que sim, são submetidos a traqueostomia para que continuem respirando, e tenham uma vida relativamente normal”, explica o cirurgião.

A cirurgia de traqueoplastia consiste na reconstrução da via aérea, proporcionando ao paciente a respiração natural, sem ajuda de artifícios externos. Além da melhora na qualidade de vida, a cirurgia também vai ajudar na melhora da autoestima e autoconfiança. “Em todo esse tempo que uso a cânula já passei por diversas situações, desde o preconceito na busca de emprego, como também, de pessoas me olhando diferente por acharem que eu tenho alguma doença contagiosa” diz Adriano Félix de Souza Silva.

Segundo o diretor Geral do hospital, Saulo Mengarda, o novo serviço vai proporcionar uma mudança de vida a esses pacientes. “Com o início deste serviço proporcionamos a estes pacientes uma melhora da qualidade de vida, um benefício tão grande que não pode ser medido, pois estamos falando de convívio familiar, em sociedade e até de trabalho. É gratificante fazer parte de mais essa etapa, que pode ser executada graças à parceria da Sespa com a Pró-Saúde”, ressalta.

A equipe responsável pelo atendimento na unidade é formada pelos cirurgiões torácicos Ajalce Janahu, Roger Normando e Marco Antônio F. Tavares. Todos são membros titulares da Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica (SBCT) e do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC) e atuam sob a direção técnica do médico Lucas Geralde.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of