Hospital de Altamira tem nova turma de brigadistas de incêndio

O enfermeiro Romerito Margotti realiza, todos os dias, seu trabalho à frente da coordenação de Enfermagem do Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT). No entanto, em caso de alguma ocorrência com fogo na unidade, ele e outros colaboradores assumem nova função: a de brigadista de incêndio. “Eu como brigadista, faço parte de uma escala. Estou como socorrista. Então minha missão, em caso de incêndio, é ir até a vítima e socorrê-la, tirando-a do perigo. Temos uma equipe vasta, preparada para combater um sinistro até a chegada do bombeiro”, conta.

Ele faz parte dos 118 colaboradores formados no ‘Curso de Formação de Brigada de Incêndio’ deste ano, que receberam, na semana passada, os certificados de aprovação no curso e os porta-crachás de identificação na cor vermelha. A ideia é que todas as pessoas no hospital possam reconhecê-los como brigadistas e procurá-los em caso de sinistro.

Os brigadistas receberam treinamento durante quatro dias, no mês de fevereiro, sob a coordenação de uma empresa autorizada pelo Corpo de Bombeiros do Pará. Entre as principais funções de um brigadista, estão o combate ao incêndio, a evacuação do prédio e o socorro aos usuários, acompanhantes ou colaboradores que precisarem.

“É claro que a gente nunca quer precisar da Brigada. Mas, precisamos estar preparados caso algo aconteça. Cada brigadista tem uma função. Seja de evacuação, seja de resgate, seja num combate. Existe uma estrutura, um organograma. Cada um tem uma função e contamos com uma equipe multi-treinada”, explica a coordenadora do setor de Gestão de Pessoas e presidente da comissão da brigada de incêndio, Lívia Viana.

 Formação de brigadistas

A formação de brigadistas de incêndio acontece anualmente no HRPT e respeita a Norma Brasileira (NBR) 14.276, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), e a Norma Regulamentadora (NR) 23, do Ministério do Trabalho. De acordo com a legislação, há um cálculo a ser feito para definir a quantidade de brigadistas, levando em conta o pico máximo de pessoas em determinado piso de um prédio.

Em 2017, o Hospital Regional Público da Transamazônica foi além do estabelecido por este cálculo, formando mais de 90 novos brigadistas e atualizando alguns colaboradores que já haviam feito o curso no ano passado, totalizando assim 118.

Os brigadistas da unidade também contam com uma equipe de suporte, orientada a alguns procedimentos em casos de incêndios. Os colaboradores dos setores da manutenção, do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) e da vigilância do hospital dão esse apoio à brigada.

Todos os certificados entregues têm a validação do Corpo de Bombeiros do Pará. As entregas aconteceram no auditório da unidade a colaboradores que trabalham nos três turnos – manhã, tarde e noite.

A Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, gestora da unidade por meio de contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), tem a valorização e o respeito para com o ser humano como um dos principais valores da entidade. Para tanto, é de extrema importância capacitar os colaboradores do HRPT para garantirem a própria segurança, a dos colegas de trabalho e a de usuários e acompanhantes.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of