HEGV promove ação social sobre cuidados com a pressão arterial

Para encerrar a série de projetos que marcam os 50 anos da Pró-Saúde, o Hospital Estadual Getúlio Vargas (HEGV) promoveu a ação social “HEGV nas Escolas”. Na última sexta-feira, dia 10/11, colaboradores visitaram a Escola Municipal Conde de Agrolongo, que fica próximo ao hospital, no bairro da Penha, no Rio de Janeiro (RJ). Ao todo, cerca de 300 pessoas participam desta ação.

Nesta última etapa do projeto, o intuito foi alertar sobre a importância da detecção precoce da hipertensão. Enfermeiros e fisioterapeutas da Unidade aferiram a pressão arterial de professores, funcionários e alunos. Já a equipe de Nutrição do HEGV montou uma exposição sobre a quantidade de sódio de alguns alimentos industrializados, entre eles, macarrão instantâneo, biscoito recheado e refrigerante.

Segundo a coordenadora de Nutrição Clínica, Cristieli Soares, a ideia foi conscientizar e mostrar às crianças e adolescentes que existem outras opções mais saudáveis. “Estudos apontam que um em cada três brasileiros sofre com a hipertensão, e o consumo de sal é mais do que o dobro do recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Informar os mais jovens é fundamental para que a gente consiga melhorar esses números”, ressaltou.

Para a nutricionista do HEGV, Fernanda Peçanha, foi gratificante ver o envolvimento e o interesse dos alunos. “Eles ficaram curiosos com o fato do sódio estar presente numa latinha de refrigerante, por exemplo. Instruímos a leitura dos rótulos e levamos opções mais saudáveis, como temperos naturais. Também distribuímos material instrutivo para serem entregues aos pais, pois esses jovens são importantes multiplicadores”, destacou.

De acordo com a diretora da Escola Municipal Conde de Agrolongo, Eunice da Cruz Viana, o principal objetivo de qualquer instituição de ensino deve ser justamente este – conseguir que os alunos ultrapassem a sala de aula e levem todo o conhecimento adquirido para os pais, amigos e comunidade. “Uma escola não pode limitar-se ao aprendizado dentro da instituição. Hoje, nossos alunos aprenderam sobre hipertensão e alimentação saudável, e tenho certeza que vão chegar em casa com muitas histórias para contar e ensinar”, concluiu.

Um exemplo é a aluna do 6º ano do Ensino Fundamental, Ana Júlia, de 12 anos. Ela prestou atenção nas orientações das nutricionistas e estava ansiosa para contar tudo o que aprendeu. “Hoje vou chegar em casa com essa novidade e vou perguntar se meus familiares têm pressão alta. O sal é muito perigoso, mas se a gente come bem, pode ter uma vida com mais saúde e menos doenças”, disse.    

Segundo dados da OMS, a hipertensão arterial é responsável por 45% dos ataques cardíacos e 51% dos acidentes vasculares cerebrais. Para a Sociedade Brasileira de Hipertensão, este tema deve ser sempre discutido, tanto entre os médicos e profissionais da saúde quanto com a população em geral.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of