Home » HEAPN e HEGV comemoram a Semana Nacional da Doação de Órgãos

HEAPN e HEGV comemoram a Semana Nacional da Doação de Órgãos

Para comemorar a Semana Nacional de Doação de Órgãos, as Comissões Intra-hospitalares de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) dos Hospitais Estaduais Adão Pereira Nunes (HEAPN) e Getúlio Vargas (HEGV), administradas pela Pró-Saúde no Rio de Janeiro, realizaram café da manhã com mesas redondas, palestras, cursos e encontro de famílias doadoras e receptoras. Parte da programação foi direcionada para os colaboradores em geral – com exceção dos cursos realizados no HEGV, direcionados para técnicos de Enfermagem, acadêmicos de Medicina e profissionais de Nível Superior.

No HEAPN, os profissionais realizaram, no dia 25, o I Encontro Médico-Jurídico, com a participação de dois advogados especialistas, além de membros do Programa Estadual de Transplante. O objetivo foi discutir pontos e dúvidas sobre as questões legais da doação de órgãos. “Colocando essas dúvidas e contrapontos em pauta teremos um aprimoramento do processo como um todo”, enfatiza o coordenador médico da CIHDOTT, Pedro Henrique.

Rodrigo Sarlo, coordenador geral do Programa Estadual de Transplante (PET), convidado para esta comemoração, ressaltou que se sente orgulhoso de ver o grau de maturidade que a Comissão Intra-hospitalar da unidade chegou. “A medida que a gente avança, com várias ações, elevamos o aumento de notificações de morte encefálica. Esse ano tivemos um aumento de 100% do número de notificações. Iniciativa importantíssima, que mostra que a unidade quer continuar avançando”.

No HEGV, a programação foi mais extensa, com quatro dias de comemorações e palestras. Aconteceu entre os dias 23 e 26, também com a participação do PET. Foram ministradas palestras sobre os aspectos éticos e legais da doação de órgãos no Brasil e a relação entre as equipes (PET, OPO e CIHDOTT). Mesa redonda e encontro com famílias receptoras e doadoras também fez parte da programação.

A coordenadora médica da CIHDOTT, Simone Mello, reforçou a importância de trazer este tema para discussão. “O mais importante pra nós é o doador, e consequentemente a família do doador. É por causa dele que conseguimos participar de um processo de melhora da qualidade de vida de muitas pessoas através da doação de órgãos. A equipe é cíclica, e por isso o mais importante é incutir nos outros profissionais essa essência”, ressaltou.

Ampliar fonte
Contraste
Voltar para o topo da página - Pró-Saúde