Equipamentos de Proteção Individual são importantes no atendimento de casos suspeitos do coronavírus

Os profissionais da urgência, emergência e recepção do Hospital Estadual de Urgência e Emergência (HEUE), de Vitória (ES), receberam treinamento sobre o novo coronavírus (2019-nCoV) pela equipe de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) da unidade. O objetivo do treinamento é garantir a segurança dos pacientes e colaboradores, além de auxiliar no combate e controle da doença.

Durante as orientações no HEUE, unidade gerenciada pela Pró-Saúde sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado da Saúde (SESA), o SCIH apresentou o fluxo de atendimento, orientou sobre o uso de máscara, alocação de paciente em espaço de isolamento, notificação dos casos suspeitos, imediata coleta de exames para descartar a doença, além de acionar o Núcleo Interno de Regulação (NIR) do hospital, que será responsável em acionar e solicitar a transferência do paciente para o hospital referência, conforme estabelecido pelo Governo do Estado do Espírito Santo.

 

Protocolo de Manejo Clínico para o Novo Coronavírus

 De acordo com o Protocolo de Manejo Clínico para o Novo Coronavírus (2019-nCoV), publicado pelo Ministério da Saúde, os profissionais de saúde devem sempre usar os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) no atendimento de casos suspeitos da doença.

A máscara cirúrgica precisa ser utilizada para evitar a contaminação da boca e nariz do profissional de saúde por gotículas respiratórias, quando ele atuar a uma distância inferior a um metro do paciente suspeito ou confirmado de infecção pelo novo coronavírus.

 

Confira algumas dicas do Ministério da Saúde para o uso da máscara cirúrgica:

  •  Coloque a máscara cuidadosamente para cobrir a boca e nariz e amarre com segurança para minimizar os espaços entre a face e a máscara;
  • Enquanto estiver em uso, evite tocar na máscara;
  • Remova a máscara usando a técnica apropriada (ou seja, não toque na frente, mas remova sempre por trás);
  • Após a remoção ou sempre que tocar inadvertidamente em uma máscara usada, deve-se realizar a higienização das mãos;
  • Substitua as máscaras usadas por uma nova máscara limpa e seca assim que esta tornar-se úmida;
  • Não reutilize máscaras descartáveis;
  • Máscaras de tecido não são recomendadas, sob qualquer circunstância.

 

O que é o novo coronavírus?

 O coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente (nCoV-2019) do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China, que já registrou mais mil mortes provocadas pela doença. A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou emergência de saúde pública global por conta da epidemia e, recentemente, definiu a nomenclatura da nova cepa do coronavírus como Covid-19.

Entre os sintomas estão: febre e sintomas respiratórios como tosse, dor de garganta e dificuldade em respirar. Em casos mais graves, há registro de pneumonia, síndrome respiratória aguda grave, insuficiência respiratória e sepse. É importante estar atento para casos de histórico de viagem para China nos últimos dias.

 

Clique aqui e leia o Protocolo de Manejo Clínico para o Novo Coronavírus (2019-nCoV) do Ministério da Saúde na íntegra.

Ampliar fonte
Contraste