Enfermeiros do Metropolitano participam de curso avançado em trauma

O atendimento ao paciente vítima de trauma requer preparação especial para os enfermeiros que se dispõem a atuar na área. Um dos cursos de aperfeiçoamento mais importantes na área é de Suporte Avançado para Enfermagem no Trauma (ATNS). O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) ofereceu aos colaboradores da Enfermagem a oportunidade de participar do curso dentro da programação da II Semana Multiprofissional e XI Semana da Enfermagem, que vai até o próximo dia 14/6.

Neste sábado, 10/6, um grupo de profissionais da unidade que é gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), teve um dia de conhecimentos em procedimentos internacionais voltados para o atendimento ao paciente de trauma.

O curso teve como palestrantes o enfermeiro, mestre e doutor em saúde e ambiente, Denison Pereira da Silva, do Núcleo de Ensino em Emergência de Sergipe, e as enfermeiras Francilene Belo, professora da Universidade Federal do Pará (UFPA), e Virgínia Lara, do HMUE.

O enfermeiro explicou que o curso busca alinhar os conhecimentos dos profissionais dentro do atendimento ao paciente crítico nas unidades de urgência e emergência. “A abordagem é feita em cima dos atuais protocolos de atendimento. O benefício para a equipe é que o tratamento traz pensamento crítico ao enfermeiro”, explicou Denison.

A professora Francilene Belo acrescentou que as aulas preparam o enfermeiro para a realidade do pronto atendimento. “Trazemos ao enfermeiro o mais próximo possível da realidade do atendimento a um politraumatizado. O objetivo é deixa-los seguros para saber priorizar os doentes na urgência e emergência”, afirmou.

Uma das participantes do curso foi a enfermeira Thais Franco. Coordenadora do Núcleo Interno de Regulação (NIR), a profissional comentou que o curso tem importância por conta do perfil da unidade. “O curso possibilitou que a gente se aprimore e dê o melhor suporte ao paciente”, ressaltou. O enfermeiro do setor de Educação Continuada, Wellingthon Munhoz, destacou o fato das aulas aprimorarem o conhecimento dos colaboradores assistenciais. “A capacitação permite que eles trabalhem de forma mais segura em relação ao nosso usuário”, concluiu.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of