Home » Doação de sangue: Hospital do Pará e Hemopa fortalecem parceria

Doação de sangue: Hospital do Pará e Hemopa fortalecem parceria

Somente no ano de 2014, foram realizadas mais de duas mil transfusões de sangue no Hospital Regional do Sudeste do Pará (HRSP) “Dr. Geraldo Veloso”, em Marabá. Mais da metade desses procedimentos ocorreu nas duas UTIs da unidade. Isso dá praticamente uma transfusão de sangue a cada quatro horas e meia.

Não tem sido fácil para o Hemocentro Regional de Marabá manter um estoque de sangue para dar conta de toda essa demanda, por isso algumas medidas têm sido tomadas.

Uma delas é a campanha que busca incentivar as pessoas que vão usar o HRSP a levarem outras pessoas para fazer doação de sangue, seja na sede do Hemopa, seja no próprio HRSP, que possui uma agência transfusional.

Quem informa é a médica Socorro Leão, que integra a equipe de Apoio Técnico do Hemopa e preside a Agência Transfusional do Hospital Regional. Ela integrou reunião sobre o assunto nesta segunda-feira (19), que definiu algumas estratégias de mais essa campanha.

Socorro lembra que a parceria entre as duas instituições de saúde já existe desde 2007. Trata-se do Grupo Amigos de Sangue, que também incentiva a doação voluntária e promove três campanhas de doação por ano. Mas está na hora de avançar um pouco mais.

Daí a importância dessa campanha, que será feita por meio da Central de Regulação, que ao encaminhar pacientes para internação, cirurgias eletivas, exames ou consultas, já vai orientar os pacientes a levar um acompanhante (ou até dois) para doar sangue.

Além disso, nas reuniões semanais com acompanhantes de pacientes, o serviço social e o serviço de acolhimento do hospital também vão fazer a mesma orientação.

Mas Socorro Leão deixa claro que a internação ou qualquer outro tipo de atendimento não estão condicionados à doação de sangue. Trata-se de uma campanha de conscientização e incentivo para a comunidade e nunca uma imposição.

Além disso – continua ela –, os pacientes que derem entrada no hospital em casos de emergência não passarão pela campanha. Serão atendidos de imediato, como sempre foi feito. Somente depois de restabelecidos é que receberão orientações sobre a importância da doação voluntária de sangue para salvar vidas.

Ampliar fonte
Contraste
Voltar para o topo da página - Pró-Saúde