Dia do Nutricionista: a atuação no combate à Covid-19 no Hospital Regional Público da Transamazônica

Nutricionistas

Profissionais atuam na linha de frente e são imprescindíveis no tratamento contra a doença

Nos últimos meses, os profissionais da saúde têm se destacado na luta contra o novo coronavírus (Covid-19). Além de médicos, enfermeiros e técnicos de Enfermagem, outros especialistas também se tornaram imprescindíveis na luta contra a doença.

Hoje, dia 31/8, é celebrado o Dia do Nutricionista, e são esses os profissionais responsáveis por fortalecer o sistema imunológico dos pacientes internados no Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), unidade gerenciada pela Pró-Saúde em Altamira.

De acordo com Jéssyca Sarmento, uma das nutricionistas que atua na “linha de frente”, os profissionais lidam tanto na prevenção quanto no tratamento contra a Covid-19.

“Se tratando de prevenção, cuidamos do sobrepeso, da obesidade, que são fatores de riscos para os casos mais graves da doença. Por outro lado, no caso de pessoas infectadas, utilizamos alimentos e suplementos para fortalecer aquele sistema imunológico”, explica a especialista.

Desafio

Segundo a profissional, um dos desafios em cuidar dos pacientes são as precauções de distanciamento e contato com os usuários.

“Sempre que possível, nós, como profissionais, sabemos que muitas vezes aquele paciente está longe dos familiares, então, ele precisa muito mais de nós. Tentamos entender suas angústias, seus medos, e se de alguma forma a alimentação pode estar ajudando a amenizar aquele sofrimento”, conta a nutricionista.

Jéssyca explica que o mais importante neste período de pandemia é levar em consideração a individualidade de cada paciente. “Desta forma, seguindo a alimentação correta, nossos pacientes voltam mais rápido para o seio da família, que é o que nos dá a sensação de missão cumprida”, finaliza a especialista.

Atualmente, nove nutricionistas atuam no Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), que registra a marca de 200 pacientes recuperados do vírus. Após a alta médica, eles continuam o tratamento em casa, cumprindo o isolamento domiciliar e sendo monitorados pela equipe do hospital.