Calçados especiais ajudam na reabilitação de pacientes que sofreram traumas

O projeto foi desenvolvido no Hospital Galileu e confecciona calçados ortopédicos desde 2019

Pensando em auxiliar na recuperação de pacientes que sofreram algum tipo de trauma nas pernas e, por isso, apresentam diferença entre os comprimentos dos membros, o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) confecciona calçados ortopédicos de forma gratuita aos usuários em recuperação. Referência em ortopedia, como uma Unidade de retaguarda, o HPEG já beneficiou mais de 60 pessoas com os calçados, que auxiliarão no tratamento e melhora na mobilidade.

Implantado em abril de 2019, o projeto “Próximo Passo” foi pensado para auxiliar a reabilitação e melhorar a adaptação na atual condição física do paciente, tendo atuação direta dos setores de fisioterapia e psicologia da Unidade, que é gerenciada pela Pró-Saúde em Belém. Proporcionar segurança no processo de adaptação, oferecer conforto e qualidade durante a caminhada, utilizar materiais de baixo custo e promover maior independência nas atividades diárias como locomoção, vestimenta e o autocuidado são os principais objetivos pensados para o projeto.

“Quando o usuário apresenta uma diferença entre os membros inferiores acima de um centímetro, ele acaba precisando de uma compensação para que o desnível da pélvis não cause escoliose ou artrose, doenças que geram fortes dores ao paciente e pioras nos processos inflamatórios”, explica o Ortopedista Geral do HPEG, Dr. Marcus Pretti. Para tanto, calçado irá compensar o membro inferior menor, nivelando e permitindo um alinhamento corporal.

O processo de confecção fica por conta do setor de manutenção da unidade. Utilizando materiais como borracha, cola e formas e com um custo financeiro mínimo, a sandália é feita sob medida para cada paciente, após a avaliação do médico, que identifica quantos centímetros o solado deverá ter e fará o receituário. Para Gil Gonçalves, responsável pela confecção dos calçados, o sentimento ao fazer as peças é de pertencimento. “Isso faz com que nós, colaboradores, estejamos mais integrados ao hospital, às suas atividades e aos seus resultados, colaborando com a recuperação de nossos pacientes”, ressalta.

Nilzabete dos Santos sofreu um acidente de moto há 2 anos e precisou passar por um procedimento de alongamento ósseo no HPEG. Por conta da fratura, ficou com uma diferença de 4 centímetros de uma perna para outra. “Tenho esperança que essa sandália irá me ajudar no futuro. Já estou andando com ela há alguns dias e me sinto bem. Hoje já consigo caminhar pelo hospital, algo que antes não fazia”, relata a paciente que, diariamente, é acompanhada por fisioterapeutas da Unidade com exercícios que auxiliam no seu processo de recuperação.

Referência no atendimento em traumas-ortopédicos

O Hospital Galileu é referência em alongamento ósseo, procedimento cirúrgico recomendado para a correção das distorções de tamanhos de pernas, problemas ortopédicos que podem ser motivados por diversos fatores. De janeiro a junho, de 2020, o HPEG realizou 78 cirurgias de alongamento ósseo, proporcionando melhora na qualidade de vida de vários usuários. Em 2019, o HPEG realizou 125 mil atendimentos, sendo 7.872 consultas especializadas, 4.274 internações, 54.077 exames, 3.314 cirurgias e 56.288 atendimentos multiprofissionais.

Além disso, de abril a junho deste ano, o HPEG atendeu exclusivamente casos do novo coronavírus, disponibilizando 94 leitos clínicos e 10 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) durante a pandemia, proporcionando a melhora de 145 pacientes.

Ampliar fonte
Contraste