A solidariedade como enfrentamento à pandemia do coronavírus

Empresas, instituições e organizações não governamentais promovem doações que colaboraram com o trabalho de profissionais de saúde no Hospital Regional do Baixo Amazonas

Desde que se tornou unidade de referência para o atendimento de casos graves do novo coronavírus (Covid-19), o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), unidade pertencente ao Governo do Pará e gerenciado pela Pró-Saúde em Santarém, tem contado com uma arma importante no combate à doença: o gesto solidário de várias instituições. Para ajudar o hospital, muitas empresas estão concentrando esforços na doação de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

A unidade, que é referência para uma população de 1,3 milhões de pessoas residentes em 30 municípios do Oeste do Pará, já recebeu diferentes contribuições de entidades, empresas e órgãos públicos.

Entre as doações, cerca de R$ 141 mil da Justiça Federal para aquisição de materiais e equipamentos relacionados a prevenção e ao combate à Covid-19, além de 15 mil máscaras ofertadas pela Empresa Temasek e Operação Sorriso Brasil.

Já a ONG Expedicionários da Saúde, de Campinas (SP), entregou 20 máscaras de mergulho para utilização em pacientes como forma de ventilação não invasiva. O Programa de Voluntariado do HRBA atuou na doação de 200 capuz e 200 propés e, no caso da Pastoral da Juventude de Oriximiná, a ação beneficente envolveu a entrega de 70 metros de TNT para confecção de EPIs.

A Instituição Financeira Sicredi contribuiu com 1.360 máscaras N-95 e, no caso da Empresa Ateliê feito a Laser e União Pará, em parceria com a Câmara de Vereadores, doaram 400 unidades de máscaras de proteção facial (Face Shield). A Associação Comercial e Empresarial de Santarém (Aces) fez parte da ação de solidariedade doando mil máscaras de tecidos para pacientes e colaboradores.

As máscaras são os itens mais recebidos pelo hospital, pois trata-se de uma ferramenta de proteção eficaz para evitar a contaminação e transmissão do vírus dentro da unidade hospitalar. No caso das máscaras de tecido, doadas pela Aces nesta segunda-feira, 15/6, serão distribuídas para pacientes e colaboradores do setor administrativo. “Nossa entidade está trabalhando diariamente para ajudar a combater o vírus e garantir dias melhores para nossa população”, destacou o vice-presidente da ACES, Alexandre Chaves.

Para o diretor Hospitalar, Hebert Moreschi, as doações merecem agradecimento e representam uma importante participação da sociedade em prol da saúde de todos. “A sociedade tem percebido a importância do Hospital Regional. Percebemos que é uma responsabilidade dividida, entre os serviços de saúde e a sociedade. As instituições, empresas e entidades têm procurado fazer a parte delas, sabendo que os hospitais têm enfrentado dificuldades para conseguir insumos. É um apoio fundamental para o sucesso dos resultados. Sem essas parcerias, seria muito mais difícil”, afirma.

Todos os equipamentos irão reforçar a segurança dos profissionais de saúde que atuam no HRBA e que estão na linha de frente de combate ao novo coronavírus (covid-19).

Pedacinhos de Amor

Além das doações de materiais e EPIs, colaboradores do HRBA recebem semanalmente cartinhas com mensagem de motivação, por meio do projeto de voluntários denominado “Pedacinhos de Amor”. “São atitudes que se somam à proteção dos EPIs. Se as máscaras protegem o físico, as palavras e o carinho que recebemos protegem a alma. Estes gestos de solidariedade e amor ao próximo fortificam nossos profissionais a continuarem firmes nessa batalha. Isso é empatia, é solidariedade”, destacou a supervisora de Humanização do Regional, Patrícia Nogueira.

O Regional do Baixo Amazonas é reconhecido como um dos dez melhores hospitais públicos do Brasil. É certificado pela Organização Nacional de Acreditação com o nível máximo de qualidade, a ONA 3 – Acreditado com Excelência. A unidade presta atendimento 100% gratuito e é referência no tratamento de casos da Covid-19 na região. Até a manhã desta quinta-feira (15/6), o HRBA já alcançou a marca de 72 pacientes recuperados após internação relacionada ao novo coronavírus.

Ampliar fonte
Contraste