Recuperada da Covid-19, mãe se reencontra com filha doze dias após conhecê-la por videochamada

Nos tempos atuais, as gestantes se tornaram ainda mais guerreiras. Portanto, nada como relembrar a história de Emilliany Alencar, paciente do Hospital Santa Juliana, em Rio Branco (AC). A analista jurídica de 32 anos contraiu a Covid-19 no sétimo mês de gravidez e por conta das complicações da doença, foi submetida a um parto de emergência.

Prematura, Manuela não nasceu com sintomas, mas precisou ir direto para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal. Três dias depois, a mãe recebeu alta do hospital, mas ainda não pôde conhecer sua filha pessoalmente. Elas só se viram nove dias depois. Para minimizar a distância, a equipe médica gravou vídeos, tiraram fotos e fizeram chamadas direto da UTI.

“Foi incrível, a equipe do hospital, como sempre, fazendo homenagem para mim, as meninas do Neonatal também que cuidaram da minha filha. Todo mundo envolvido e encantados com a Manuela”, relatou Emilliany.

Após o reencontro, bastou elas se olharem para sentir a conexão entre elas.

Ampliar fonte
Contraste