Uma nova maneira de jejuar no pré-operatório do HEGV

Em agosto de 2018, a Unidade de Cirurgia do Hospital Estadual Getúlio Vargas (HEGV), localizado no Rio de Janeiro (RJ), implementou o protocolo de abreviação de jejum com a finalidade de reduzir o tempo de jejum no pré-operatório. O protocolo faz parte de uma das doze diretrizes estabelecidas pelo processo ACERTO (Aceleração da Recuperação Total Pós-Operatória), que tem o intuito de acelerar a recuperação do paciente recém operado.

Antes o jejum pré-operatório tradicional era feito de 8/12h, que era utilizado quando técnicas anestésicas eram fundamentais na prevenção de complicações pulmonares devido a vômitos, aspirações de conteúdo gástrico, regurgitação e bronco aspiração. Contudo, foi observado que nas últimas décadas essa prática não era relacionada com essas complicações.

Antes da realização do protocolo, foi feito um levantamento das horas que os pacientes eletivos da cirurgia geral ficavam 16 horas em jejum para a cirurgia, com variações de 11h30 a 22h. Foi então realizado um treinamento local, onde todas as equipes envolvidas como: cirurgiões, nutricionistas, anestesistas e enfermeiros, e seria entregue uma solução enriquecida com Maltodextrina em horários determinados. Essa solução está sendo vista como um fator benéfico para diminuir a resposta a resistência insulínica, o estresse cirúrgico e ainda melhorar o bem-estar do paciente.

Com base em evidências na medicina, os estudos mostram repetidamente que reduzir o tempo de jejum pré-operatório para 2 horas, com bebidas contendo carboidratos, não estabelece risco algum na aspiração associada a anestesia. Com resultados referentes aos meses de agosto e novembro de 2018, foi demonstrado que mais de 190 pacientes foram beneficiados com o protocolo. Com uma redução de 33,1% do tempo de jejum pré-operatório. No mês de novembro, houve 96% de satisfação dos pacientes que participaram do protocolo, não constando relatos de enjoo ou vômito acerca da ingestão da solução de carboidratos.