Treinamento sobre HIV e Sífilis é aplicado no HMIB

Membros da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) ministraram treinamento sobre o “Projeto Nascer: capacitação em teste rápido e aconselhamento de HIV e sífilis”, nos dias 27 e 28/11, para a equipe assistencial do Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan (HMIB).

O curso foi direcionado aos enfermeiros e técnicos de Enfermagem e foi dividido entre teoria e prática. Os temas abordados foram o vírus da AIDS, sífilis e sífilis congênita. Na oportunidade, os colaboradores puderam, inclusive, fazer a demonstração do teste da polpa digital para melhor entendimento.
 
De acordo com o coordenador de Enfermagem do HMIB, Geovanny Magalhães, o objetivo é capacitar o colaborador. “O intuito de trazer o treinamento para o Hospital é dividido em duas partes, o primeiro, relacionado à sensibilização dos profissionais e, o segundo, é a capacitação deles para realizarem o teste rápido, já que todos precisam de habilitação para esta função”, declara.  

A Unidade segue o princípio da humanização, para o seu cumprimento em todos os âmbitos, é necessário este tipo de qualificação quanto a aconselhamento junto ao paciente. “Não é apenas instrução técnica, o aconselhamento em caso de resultado positivo, a forma de dar este resultado ao paciente, tudo isso faz parte do treinamento e o colaborador precisa saber”, afirma o coordenador.  

De acordo com o relatório da Coordenação Estadual de Infecção Sexualmente Transmissível (IST)/ Aids, em referência aos anos de 2013 a 2016, foram constatados no município de Barcarena, 61 casos de sífilis congênita, que é a transmissão da doença de mãe para filho. A infecção é grave e pode causar má formação do feto, aborto ou morte do bebê. Por isso, a importância do pré-natal para o tratamento adequado da mulher e do parceiro. 

Segundo a enfermeira e a técnica da Coordenação Estadual de IST/Aids da Sespa, Ildemar Fernandes, o diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento do recém-nascido e da mãe na maternidade durante o parto. “Achei imprescindível este treinamento, principalmente, porque tivemos um espaço específico e conseguimos juntar um grande número de colaboradores. Eles me deram um retorno imediato durante o treinamento. O objetivo maior é capacitar a equipe para o manejo clínico da infecção pelo HIV e sífilis para eles fazerem isso aqui na maternidade como prevenção também. Conversamos sobre como tratar essa gestante e o recém-nascido na hora do parto de acordo com o protocolo, ter a oportunidade de fazer a prevenção dessas mulheres que portam o HIV e que não sabem porque não foi possível ser detectado no pré-natal”, informa.

O relatório da UNAIDS, que foi divulgado na semana passada, afirma que 9,4 milhões de pessoas vivem com o HIV e não sabem que estão com o vírus. Se diagnosticado durante o pré-natal, a mãe infectada é tratada e evitará a transmissão para o bebê. “Na Maternidade, a gente consegue fazer uma prevenção para a gestante e o bebê pelo uso dos retrovirais, orientação sobre a não amamentação e a família recebe a fórmula láctea na saída da maternidade”, acrescenta Ildemar.

Anteriormente, apenas alguns enfermeiros do HMIB eram habilitados para realizarem o teste rápido. Eles estavam atuando na triagem da Unidade de Intercorrência (UAI). Após este treinamento e habilitação dos demais profissionais, os testes serão intensificados tanto na UAI quanto no ambulatório, haja vista que a cada três meses, durante o pré-natal deve ser realizado o teste rápido na gestante.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of