Trabalho fonoaudiológico no Hospital Metropolitano ganha destaque em revista nacional

“Quando a gente consegue algo assim que dá muita alegria, porque não é fácil publicar”. A frase resume o sentimento da fonoaudióloga Natasha Anijar, que trabalha na orientação e acompanhamento dos residentes no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua. Ela comemora a publicação do artigo “Processo de decanulação em pacientes acometidos por traumatismo cranioencefálico: estudo realizado em um hospital de trauma, na região metropolitana de Belém, PA” na Revista da Faculdade de Ciência Médicas de Sorocaba, da Universidade de São Paulo (USP).

A publicação foi produzida pela fonoaudióloga Amanda Grasiele Andrade, que fez residência na unidade em 2015, e orientada pelos fonoaudiólogos José Wilson de Araújo Albuquerque e pela própria Natasha, como pesquisa científica da Universidade do Estado do Pará (Uepa). O artigo aborda o trabalho fonoaudiológico realizado no Metropolitano em vítimas de traumatismo cranioencefálico grave e os benefícios dele na recuperação dos pacientes, em relação ao processo de alimentação.

Vinte usuários vítimas de traumatismo cranioencefálico (TCE) com indicação de intubação por período superior a sete dias e que receberam indicação de traqueostomia foram acompanhados entre julho e novembro de 2015. O objetivo da pesquisa foi analisar a importância do trabalho dos fonoaudiólogos para que estes pacientes pudessem passar pelo processo de decanulação e desmame, ou seja, a retirada da traqueostomia e da via de alimentação alternativa, sem que apresentassem problemas de deglutição – para engolir os alimentos. Todos os usuários participantes tiveram sua identidade preservada no artigo.

Como resultado, verificou-se que a maioria dos pacientes acompanhados conseguiu retomar as funções normais de alimentação após decanulação, que é a retirada dos tubos, com o auxílio do atendimento terapêutico fonoaudiológico. Natasha Anijar ressaltou a importância desta publicação para a unidade, o primeiro de fonoaudiologia realizado com o acompanhamento dos pacientes.

“Neste caso, a revista da USP é uma publicação gratuita, então a seleção é super rigorosa. Por isso é ainda mais gratificante, porque é uma prova da relevância do trabalho, já que realmente só são escolhidos os melhores e que atendem aos critérios de publicação da universidade”, destacou a fonoaudióloga do Metropolitano.

A unidade, que é gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar por meio de contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), possui programas de Residência Médica, em quatro especialidades, e de Residência Multiprofissional em Urgência e Emergência, englobando profissionais de Fisioterapia, Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional, Enfermagem e Psicologia.

As residências são coordenadas pelo Departamento de Ensino e Pesquisa (DEP), que também monitora estágios profissionais e mantém convênios com Instituições de Ensino Superior e Hospitais de Ensino no estado. O coordenador do DEP, Leonardo Ramos, também comemora a publicação do artigo de fonoaudiologia em uma revista científica de destaque nacional.

“É com grande satisfação que compartilho mais uma publicação alcançada por nossos residentes e orientada por nossos preceptores. Isso faz com que mais uma vez o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência seja destaque no meio científico nacional”, concluiu.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of