Risoterapia ajuda na recuperação de pacientes e reduz tempo de internação

No Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá (PA), a gargalhada faz parte do tratamento dos usuários atendidos na instituição. As sessões de risoterapia – ou terapia do riso, como também é conhecida – são realizadas a cada 15 dias, por pessoas que se dispõem a levar alegria às enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Esse serviço é realizado por meio do 'Programa do Voluntariado' da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, que gerencia seis hospitais públicos no Pará, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa),

Dentre os benefícios da risoterapia, destacam-se o estímulo à liberação de endorfina, que dá a sensação de bem-estar, e o aumento da imunidade do organismo. Isso é possível porque, ao gargalhar, os músculos do rosto e do abdômen são movimentados. Como resultado, há a elevação da autoestima do paciente e, consequentemente, a cooperação com os profissionais da saúde no tratamento necessário à sua recuperação.

O estudante Axel Tavares, de 22 anos, é um dos integrantes do grupo de palhaços ''Obra de Maria'', formado no final do ano passado, por quatro jovens da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, na Folha 28. ''Nas visitas, o maior aprendizado é para o voluntário, mais do que para o paciente, porque a história de vida dele e sua força são enriquecedoras para todos nós. Lembro de uma das visitas ao hospital em que conhecemos uma menina de 12 anos. Ela chorou quando lemos uma palavra. Perguntou para a mãe onde estava a Bíblia dela e aí vimos que ela tinha consciência de que Deus não tinha esquecido dela'', disse o voluntário. 

Capacitação 

No voluntariado em unidades de saúde, além da disposição para fazer bem ao próximo, é necessário que o participante conheça as normas e rotinas do ambiente visitado, para que não coloque em risco a sua própria saúde nem a do paciente. Para orientar sobre esse preparo, no último final de semana, o Instituto Médicos da Alegria e a Diocese de Marabá, em parceria com o Hospital Regional do Sudeste do Pará, realizaram a 'I Formação de Médicos da Alegria'.

Mais de 40 jovens participaram do evento, que contou com palestras do psicólogo Odemir Carvalho Junior e da enfermeira Daiane Freitas, ambos colaboradores do HRSP. Enquanto ele explicou sobre as fases vivenciadas pelo paciente e sentimentos comuns em internação, como a solidão, ela comentou sobre as medidas de segurança que ajudam a prevenir infecções hospitalares. 

Segundo a coordenadora do Instituto Médicos da Alegria, Ana Paula Ferreira Sampaio, a formação é importante para grupos que já atuam em hospitais ou que pretendem realizar o serviço. ''Quem sentir o desejo de fazer trabalho voluntário com enfermos e começar com essa formação, está começando com o pé direito, da maneira correta, porque ela é a base de tudo. Visitar um hospital é levar saúde também, por isso, precisamos entender como podemos ajudar de fato e quais atitudes podem prejudicar o tratamento do paciente'', argumentou a voluntária. 

Para Axel, do grupo de palhaços ''Obra de Maria'', o evento valeu a pena. ''Foi muito bom porque pudemos esclarecer dúvidas e entender o estado do paciente, o que ele passa em um hospital e como devemos nos portar como voluntários'', comentou o estudante. 

Voluntariado 

Quem desejar fazer parte do time de voluntários do Hospital Regional do Sudeste do Pará deve entrar em contato pelo e-mail humanizacao@hrspprosaude.org.br ou pelo telefone (94) 3323-5252. As ações são normatizadas pelo Programa de Voluntariado, dentro do que preconiza a Lei do Voluntariado, de nº 9.608, de 18/2/98. 

Atualmente, a unidade conta com voluntários nas áreas de musicoterapia, risoterapia, artesanato, embelezamento, corte de cabelo, ações de saúde e culturais.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of