Primeiro mês de funcionamento do HMIB alcança 97% de satisfação entre usuários

O Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan (HMIB), gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato junto à Secretaria de Saúde Pública do Estado do Pará, completou 30 dias de funcionamento. Para apresentar o resultado do primeiro mês de trabalho, a diretora Hospitalar da Unidade, Stéphanie  Valdivia, mostrou aos gestores, no dia 14/11, o plano estatístico do mês de outubro.  

Com grande atuação na região em atendimento humanizado, serviços e equipamentos, o HMIB conseguiu alcançar 97% em satisfação dos usuários, de acordo com o Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU). “Tivemos apenas oito reclamações/sugestões, segundo os formulários de pesquisa de satisfação geral contabilizados pelo setor neste primeiro mês. Todas elas foram solucionadas durante a permanência do paciente no hospital”, comemora a auxiliar Administrativo do SAU, Kalila Rodrigues.

Durante  o mês inaugural, foram realizados 6 partos naturais e 16 cesarianas – sendo duas de gemelares -, totalizando 22 partos e 24 bebês nascidos na Unidade. Os tipos de parto foram realizados com o consentimento das usuárias, a partir da condiação clínica de cada uma, avaliada pela equipe Multiprofissional. Durante o período, o Hospital não teve nenhum registro de óbito.

O balanço, que corresponde ao período de 8/10 a 8/11, mostra o total de 259 exames laboratoriais e por imagem realizados e 38 vacinas administradas aos recém-nascidos. “Esse quantitativo está ótimo para o nosso primeiro mês. Todos os bebês de alta foram vacinados contra a hepatite e também a vacina BCG, para prevenir a tuberculose. As famílias saíram com a carteira de vacina e foram orientadas a darem continuidade na Unidade de Saúde Básica mais próxima à residência” afirma a enfermeira responsável pelo Serviço de Apoio Diagnóstico Terapêutico (SADT), Helen Domiciano. 

Ao todo, foram registradas 111 entradas na Unidade de Atendimento à Intercorrências. Dessas pacientes, algumas são conterrâneas de Barcarena, outras vieram de municípios da região, como Abaetetuba e, também, de localidades mais distantes, referenciadas pela Central de Regulação da Secretária de Estado de Saúde, como Muaná e Igarapé-Miri. 

Primeiros atendimentos

Ana Rita Carvalho, 35 anos, moradora do Km 60 da Alça Viária, foi a primeira pessoa a ser atendida no HMIB no dia 08/10, com entrada pela Unidade de Atendimento a Intercorrências. Gestante de alto risco, chegou na Unidade com dores e sangramento, ficou internada por uma semana e teve alta hospitalar após estabilização do quadro de saúde. Entretanto, com 7 meses de gestação precisou ser hospitalizada novamente e realizar uma cirurgia cesariana de emergência. 

“Meu coração só vai ficar ótimo quando puder levar meu filho para casa, mas o que me conforta é que sei que ele está sendo bem cuidado, pois eu também fui bem cuidada por todos aqui nas duas internações. Sei que os profissionais daqui fazem tudo pela gente”, declarou Ana Rita, que está com seu bebê internado na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal para cuidados específicos, porém, o estado de saúde dele é considerado estável. 

Quem também completou seu primeiro mês de vida foi Samuel, o primeiro bebê nascido no Hospital Materno-Infantil de Barcarena. A mãe dele, Eliana Holanda, chegou na Unidade com diagnóstico de pré-eclâmpsia, considerado estado de saúde grave. Eliana e o marido tentaram engravidar por nove anos e, segundo ela, a inauguração do HMIB coincidir com o dia que ela entrou em trabalho de parto foi benção divina. 

“Estou me recuperando muito bem da cirurgia. Queria agradecer por tudo que foi feito no Hospital, porque foi uma grande benção para todas as mães no município. O Materno foi esperado por tanto tempo e, para a gente, uma benção maravilhosa que Deus proporcionou, sobretudo porque a abertura aconteceu no dia que precisamos”, declarou Eliana.

Após alta, Samuel realizou três exames na Unidade e segue em acompanhamento ambulatorial no HMIB. 

Ampliação dos serviços

De acordo com a diretora Hospitalar, Stéphanie  Valdivia, a perspectiva para o mês de novembro é iniciar as atividades do ambulatório, o que refletirá no aumento das demandas. “A Central Estadual de Regulação está habilitando nossos exames e consultas para os municípios solicitarem, por exemplo, mamografia, raios-x e colposcopias. As cirurgias pediátricas e ginecológicas também vão impulsionar o número de internação neste mês”, reitera.

Um dos diferenciais da Unidade são as visitas estendidas, com acompanhantes 24 horas na UTI e UCI, e capacitação para o colaborador por meio de treinamentos diários in loco. “Temos colocado visitas estendidas na UTI Adulto, isso é muito raro. Já conseguimos comprovar que para o quadro da paciente isso é muito bom, porque quando elas estão sozinhas tendem a ficar mais depressivas, mais chorosas, inclusive, descontentes por ficarem tanto tempo na internação. O nosso papel aqui é realmente estimular nelas a motivação, o vínculo com o bebê. São injeções de ânimo para que eles tenham uma evolução e melhora no tratamento”, ressalta a diretora.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of