Policial Militar agradece a recuperação da saúde pela assistência recebida no HRBA

No dia 6 de novembro de 2018, o sargento Carlos dos Santos, de 53 anos – que está na reserva do Grupo Tático Operacional – foi baleado no pescoço durante tentativa de assalto, em Santarém (PA), sendo encaminhado para o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), gerido pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar. Segundo ele, até mesmo os amigos perderam a fé, pela gravidade e o local do ferimento. “Os meus amigos jamais imaginaram que eu ia sobreviver em virtude do que aconteceu. Para eles, eu não tinha mais retorno de vida. Mas eu confiava e acreditava em Deus que eu ia sobreviver”, conta Carlos. 

Após somente 18 dias internado, no dia 24 de novembro, o policial teve alta hospitalar.  “Foi um milagre de Deus, porque ninguém esperava… até eu mesmo estou sem saber o que dizer pela recuperação que foi muito rápida. Até onde foi feito o procedimento já até cicatrizou, é uma coisa impressionante. Onde eu levei o tiro, também, quase não tem mais marca”, afirma o sargento, ainda incrédulo. Apesar da gravidade da lesão, o paciente não ficou com nenhuma sequela.

Para retribuir um pouco do cuidado recebido, Carlos retornou ao Hospital com a esposa para agradecer os cuidados recebidos. “O Hospital Regional é de primeiro mundo. Pelo tratamento que oferecem, pelos médicos especializados, pela equipe de Enfermagem. Eu quero agradecer muito, porque a equipe chegava e a gente estava abatido, desanimado pelo acontecimento, e eles faziam a gente sorrir, isso é muito importante. Todos que estão internados aqui são bem tratados, não fui só eu. O atendimento aqui é muito diferenciado, em relação aos outros hospitais, a diferença é muito grande”, agradece. 

Diracy Vieira, de 33 anos, esteve ao lado na recuperação do marido, sem perder a fé. “No primeiro momento foi um desespero total… ver o meu esposo naquela situação e não poder fazer nada. Mas quando vi que ele estava sendo bem tratado pela equipe, que desde que chegamos aqui nos deu total apoio, aquele desespero saiu. A gente sabia que além de Deus, também tinha uma equipe que estava preparada para qualquer situação. Eu poderia ir pra casa tranquila, porque sabia que ele estava bem. Só temos a agradecer a todos, porque não foi fácil”, afirma Diracy.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of