Palestras e atividades lúdicas sobre medicação marcam a 1ª Semana de Farmácia Hospitalar no HEUE

O Hospital Estadual de Urgência e Emergência (HEUE), localizado no bairro Forte São João, em Vitória, recebeu, entre os dias 21 e 25 de janeiro, a 1ª Semana de Farmácia Hospitalar. O evento contou com discussões sobre administração de medicamentos, orientações sobre os “nove certos da medicação” (paciente certo, medicamento certo, via certa, hora certa, dose certa, registro certo da administração, orientação certa, forma certa e resposta certa) e ação lúdica sobre automedicação

A atividade foi aplicada em todos os hospitais administrados pela Pró-Saúde no Brasil. Em Vitória, a entidade gerencia o HEUE desde 18 de dezembro de 2015, por meio de contrato de gestão firmado com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Durante a abertura do evento, os diretores do hospital destacaram como um avanço a participação dos farmacêuticos na equipe multidisciplinar. “A interação entre as equipes durante a assistência ao paciente só amplia a comunicação e promovem ações e tomadas de decisões em benefício das pessoas que são atendidas no hospital”, disse Adriana Morais, diretora Administrativa e Financeira do HEUE.

Já para a coordenadora de Farmácia do HEUE, Edna Ormi Galazi, a 1ª Semana de Farmácia foi uma oportunidade de ampliar conhecimento e reforçar a importância dos farmacêuticos na assistência. “A segurança do paciente é um assunto que necessita ser debatido todos os dias. Durante esses dias, tivemos a oportunidade de agregar conhecimento, estar mais próximo dos pacientes e evidenciar o papel do farmacêutico no âmbito hospitalar”, concluiu.

 

As atividades

Na primeira palestra, as farmacêuticas Michelli Mello e Ana Carolina Pamplona falaram sobre a Medicação sem Danos, tema do 3º Desafio de Segurança do Paciente da Organização Mundial de Saúde (OMS). “O esforço global, lançado pela OMS, tem por objetivo promover mudanças que resultem na redução de 50%, ao longo dos próximos cinco anos, da ocorrência de erros e de danos graves relacionados a medicamentos”, explicou Ana Carolina.

Como parte da atividade do primeiro dia do evento, também foi apresentado o projeto desenvolvido na Unidade “Reconciliação Medicamentosa e Estratégias para Compartilhamento de Informações entre a Equipe Multidisciplinar”.

No segundo dia, os farmacêuticos visitaram todos os pacientes das Unidades de Internação (enfermarias) e explicaram sobre a importância de não se automedicarem. Na ocasião, os profissionais falaram da atuação deles no ambiente hospitalar. No mesmo dia, em parceria com o Recursos Humanos do hospital, foi desenvolvido a ação “Conhecendo a atuação do profissional de Farmácia”. Colaboradores de vários setores do hospital conheceram a rotina de trabalho do farmacêutico e o fluxo da chegada e dispensação dos medicamentos.

O faturista do hospital, Alcenir Bissoli Valério, destacou a visita setorial como uma oportunidade para agregar conhecimentos. O colaborador estuda o 4º período do curso de Farmácia. “A iniciativa proporcionou uma ampliação excepcional, que certamente vai contribuir para minha formação”, disse.

A visita setorial também aconteceu no terceiro dia de ações, que contou ainda com a apresentação da palestra “Uso Racional de Antimicrobianos”, conduzidas pelas farmacêuticas Débora Môro e Laysa Meneli Venturin. Na ocasião, a diretora Administrativa e Financeira do hospital, Adriana Morais, contou uma experiência que teve em 2014, quando ficou internada no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), no Estado do Pará, que também é administrado pela Pró-Saúde. “O paciente em seu estado necessita ter ao seu redor profissionais capacitados para orientá-lo, suprindo assim os anseios, medos e receios, estando seguro diante da assistência recebida. Eu me senti segura, pois tive uma assistência adequada de toda equipe e, principalmente, da equipe da Farmácia, compondo assim a equipe multidisciplinar, tirando minhas dúvidas sobre a medicação que estava sendo administrada em mim”, comentou Adriana.

No penúltimo dia do evento, profissionais de hospitais públicos e privados do Espírito Santo participaram de uma mesa redonda sobre o Uso Seguro de Medicamentos. Na oportunidade, os espectadores fizeram perguntas relacionadas às tomadas de decisões do farmacêutico junto à equipe multidisciplinar, interação entre equipes e os desafios relacionados à segurança do paciente no uso dos medicamentos, entre outros. Para fechar o dia de programação, a farmacêutica Inglidy Pazzini, contou os desafios e experiências como farmacêutica do hospital. Antes de concluir o curso na faculdade, há seis meses, Inglidy trabalhava como auxiliar de Farmácia no HEUE.

 

Ação lúdica nos corredores

Os farmacêuticos, com apoio de outros setores do hospital, usaram da criatividade para desenvolver uma ação lúdica, com objetivo de despertar a atenção dos pacientes, acompanhantes e colegas de trabalho sobre a automedicação. A ação contou até com um profissional do hospital vestido de remédio, chamado de “Risotril – Paracetomar com os Amigos”. Para compor a ação, o colaborador Francis Souza, do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU), desenvolveu uma paródia “Cuidado com os Remédios – Sem Prescrição ele é um perigo”.

Segundo pesquisa realizada em 16 capitais brasileiras pelo Instituto de Ciência e Tecnologia e Qualidade (ICTQ), envolvendo 2.340 indivíduos, 40% das pessoas que fazem autoconsumo de medicamentos têm o hábito de se autodiagnosticarem pela internet. Entre as capitais pesquisadas, Brasília é a primeira do ranking (66%), seguida de Vitória e Salvador (59%), Natal (55%) e João Pessoal (53%).