Pacientes participam de arrastão carnavalesco no Hospital Metropolitano

Máscaras, serpentina, confete e muita alegria. Esses foram os ingredientes da tarde carnavalesca que pacientes e acompanhantes do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE) tiveram nesta sexta-feira, 9/2. Colaboradores e residentes multiprofissionais da unidade localizada em Ananindeua (PA) promoveram um arrastão de Carnaval nas clínicas de internação para levar alegria e descontração aos usuários.

Profissionais de Terapia Ocupacional, Psicologia, Enfermagem e Farmácia percorreram as enfermarias com um trio elétrico estilizado em um carrinho de medicação. Na decoração, muito brilho, máscaras e serpentinas. A trilha sonora incluiu marchinhas de velhos carnavais.

Paciente da Clínica Ortopédica, Orivaldo Furtado Ferreira, está internado no Metropolitano desde o dia 1/2, após ser atropelado por um motociclista em Barcarena (PA). ‘Estou aqui porque Deus colocou as mãos dele e não quis que eu fosse embora. Da maneira que fui atropelado, todo mundo, até mesmo o médico, ficou admirado em ver a situação em que estou hoje, recuperado”, contou.

Orivaldo elogiou o arrastão de Carnaval e destacou a alegria de poder desfrutar deste momento, quando se recupera de um acidente grave. “Essa atitude de vir aqui por alguns instantes merece parabéns. Vocês estão dando alegria para quem está se recuperando aqui”. Otimista, ele já pensa na volta para casa. “Daqui para frente as coisas vão melhorar”, afirmou.

Além do arrastão de Carnaval, a unidade gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) promoveu uma oficina de máscaras para os pacientes infantis da Clínica Pediátrica e uma sessão de jogo terapêutico para pacientes e acompanhantes do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) promovido por residentes multiprofissionais de Terapia Ocupacional e Psicologia.

A coordenadora de Projetos Sociais do HMUE, Roberta Cardins, explicou que iniciativas como a atividade de Carnaval ajudam a aliviar o estresse da hospitalização. “Temos pacientes que passam por um processo longo de hospitalização e ações como esta os trazem de volta à rotina que foi quebrada no momento em que eles se acidentaram e tiveram de entrar no hospital”, destacou.  

O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência possui 198 leitos e é referência no tratamento de queimados para a região Norte, além de ser o maior captador de doação de órgãos e tecidos no Estado do Pará.

Em 2017, o HMUE atendeu a  4.313 pacientes vítimas de acidentes de trânsito. Foram 1.799 atendimentos a vítimas de acidentes de motocicleta, 1587 vítimas de colisão, outros 755 atendimentos a pacientes vitimados por atropelamentos e 172 em decorrência de acidente de bicicleta. O número total referente a pacientes vítimas acidentes de trânsito é 23,62% menor que o registrado em 2016, quando o HMUE recebeu 5.467 pacientes vítimas de acidentes de trânsito. A unidade atendeu, ainda, 511 pacientes vítimas de queimaduras em 2017.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of