Pacientes do Hospital Metropolitano participam de encerramento do ano letivo

Aproximadamente 900 alunos foram assistidos na Classe Hospitalar que funciona dentro do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua-PA, durante o ano de 2016. Em média, 80 usuários por mês do Sistema Único de Saúde foram atendidos pelo projeto, que é destinado, principalmente, as crianças. E para celebrar a conclusão do ano letivo, foi realizada uma confraternização de Natal. As crianças apresentaram uma peça natalina, tendo como público os pais e/ou acompanhantes e as professoras. Além disso, presentes foram distribuídos.

A professora Referência da classe, Claudiene Beckman, explicou que foram desenvolvidos temas variados, principalmente, as disciplinas do Ensino Fundamental, tais como códigos e linguagens e raciocínio lógico. “Trabalhamos, principalmente, com uma faixa etária de cinco a dez anos. Devemos celebrar porque fechamos todos os conteúdos programáticos”, ressaltou. Em função da unidade hospitalar ter como perfil de atendimento vítimas de traumas e  queimaduras, a Classe Hospitalar trabalhou um tema principal este ano: Educação e Saúde: a Base de uma vida saudável, dividindo-o em dois subtemas, um voltado para a prevenção de queimadura e outro abordando a temática para prevenção a acidente de trânsito. O projeto funcionou entre os meses de fevereiro e dezembro, contanto com professores da Secretária de Educação do Pará (SEDUC), todos com especialização em educação especial.  

L. F. O., de dez anos, está internado há mais de um mês no hospital por conta de um acidente em que quebrou o braço esquerdo. Ela participou ativamente das atividades desenvolvidas pelo projeto. “Não sabia que teria uma escola em um hospital. Aprendi muitas coisas, pois gosto de história e matemática”, disse Felipe, ao lado do pai e acompanhante, Amiton Oliveira. “Ele participou da classe hospitalar e gostou de todas as atividades em meio a esse período em que está internado”, disse Amilton.

Já a Michele Willock acompanha a filha, de apenas seis anos, vítima de um acidente doméstico. Como está internada há 12 dias, a criança participou da reta final do ano letivo da Classe Hospitalar. “Ela adorou o projeto, sendo que observei que ela interagiu com os colegas e fez atividades com desenho que ela adora. Foi um apoio, com certeza, porque uma criança em um ambiente hospitalar não é fácil”, garantiu Michele.

 

Classe Hospitalar

Criado em 2009, o programa oferece atendimento educacional especializado, no leito e assessoramento pedagógico. São aulas multisseriadas para atender o perfil diferente de cada aluno. Entre os diferenciais está o auxílio em uma temática atual. Os alunos são matriculados normalmente, e cada um será avaliado por meio de relatórios individuais. Geralmente, os usuários atendidos estão internados na ala de pediatria e no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), vítimas queimaduras e poli traumatismos. Na Classe Hospitalar, trabalha-se o Ciclo I e Ciclo II do Ensino Fundamental, abordando diversas áreas de conhecimento, como raciocínio lógico matemático, o estudo da sociedade, códigos e linguagens. Mas também se engloba outro tipo de público, como alunos de Ensino Médio que estão nas enfermarias do Hospital Metropolitano.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of