Oncológico Infantil promove batismo de crianças em tratamento

A brinquedoteca estava lotada, as crianças vestidas de branco e o videogame dava lugar à imagem de Nossa Senhora de Nazaré, tudo isso indicava que algo diferente aconteceria no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, na tarde deste último sábado, 17/02, “Hoje, nossa comunidade se alegra por ganhar novos filhos e filhas, crianças que são o dom precioso de Deus e a prova de seu amor”. As palavras do diácono Benedito Balieiro, da Paróquia de São Francisco de Assis, davam as boas-vindas para quem esteve na brinquedoteca, mais especialmente para cinco crianças que fazem tratamento contra o câncer no Oncológico Infantil e a irmã de uma delas. Todas foram batizadas na cerimônia organizada pelo hospital, que é gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

A pequena L.V.S, de um ano e seis meses, era a mais nova entre as crianças batizadas. A escolha foi da mãe, Larissa dos Santos, que viu os pais saírem recentemente de Portel, na Ilha do Marajó – PA para tentar mudar de vida em Belém e agora, conta com o apoio deles no tratamento da filha iniciado há poucos dias.

Larissa viu no batismo uma oportunidade de fortalecer suas crenças e buscar proteção à filha. “Acredito que Deus tem planos para nós e para ela. Para enfrentarmos tudo isso, vamos precisar nos apegar mais a Deus, ter pensamentos positivos e esperar que eles voltem para a gente. Ela ainda é pequena, não tem noção do que está acontecendo, mas terá uma vida inteira para entender”, disse ela confiante na cura da filha.

Além das crianças e suas famílias, outras duas figuras importantes no batismo são os padrinhos e madrinhas, que foram escolhidos pelas famílias entre voluntários do hospital, e agora assumem função de ajudar as crianças a seguirem uma vida de acordo com ensinamentos de Cristo.

Sérgio Manoel é um desses voluntários e já começou a trabalhar na missão, tendo que explicar para sua nova afilhada V.G.R, de sete anos, o significado da água que molhou os cabelos da menina e do óleo passado no peito. “Como ser humano cristão, acho que é nossa missão cuidar delas. Eu assumo essa função com muito orgulho e amor”, disse ele feliz por ter sido escolhido e ter participado da cerimônia. “Foi um dia emocionante e de muito carinho”, complementou.

Para a coordenadora de Humanização do Oncológico Infantil, Paula Viana, o batismo de crianças em tratamento na unidade, assim como as missas e cultos realizados todos os finais de semana, são ações que proporcionam um conforto necessário para as famílias. “Geralmente são tratamentos longos e as famílias acabam ficando no hospital por muito tempo. A gente fica feliz com a participação deles em ações como essas, que os reaproxima de costumes que eles tinham e traz um conforto que faz a diferença no tratamento”, finalizou ela. 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of