Oficina terapêutica ajuda a aliviar dor e estresse de pacientes internados em hospital

Sala de espera de hospital também é lugar de colocar a criatividade em dia e proporcionar lazer e entretenimento a quem está internado e seus familiares, aliviando o estresse emocional que um longo período de internação pode causar. É assim que pensa a gestão da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, que por meio de contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), gere o Hospital Público Estadual Galileu, em Belém (PA). Na unidade, a sala de espera pode virar espaço para palestras, apresentações musicais e até oficina de artesanato terapêutica, como aconteceu nesta primeira semana de outubro.

A oficina de artesanato era direcionada para pacientes e acompanhantes, que aproveitando a proximidade da festividade do Círio de Nazaré, na cidade, deveriam produzir mantos para Nossa Senhora, com produtos como tinta para tecido, miçangas, papel cartão e cola em mãos. Por trás do tema, o objetivo maior era cumprido, o de tirar os pacientes do leito e proporcionar uma tarde diferente.

Para Ferrúcio Pedro Pimentel, de 76 anos, internado no hospital há mais de 20 dias, a ideia foi espetacular e conseguiu arrancar sorrisos do idoso, que no dia recebia uma visita estendida da esposa Ivete Pimentel, de 71 anos. “Eu estava com tanta dor e até passou”, afirmou sorrindo. “Estou ajudando minha esposa para fazermos um manto bem bonito”, completou.

Ivete e Ferrúcio têm o hábito de fazer grandes festas em casa na época do Círio. Esse ano será diferente, pois ele segue em tratamento para pneumonia, na unidade, mas quem via a alegria do casal fazendo o manto juntos, percebia que os dois até 'esqueciam' que estavam em um ambiente hospitalar. “Maravilhosa a oficina. Gostei muito mesmo. Eu não esperava isso, gosto muito de artesanato”, declarou Ivete.

A Terapeuta Ocupacional, Lorena Rodrigues, era uma das instrutoras da oficina, juntamente com a psicóloga, Rebeca Moreira, e as equipes do Serviço de Atendimento ao Usuário (S.A.U.) e Humanização do Hospital Galileu.

Lorena conta que as oficinas costumam ter uma boa adesão por parte dos pacientes e familiares, além de ajudar a tirar a visão negativa que muitos têm do ambiente hospitalar. “Quando eles chegam aqui não sentem o tempo passar. E, mesmo hoje, que estamos com uma temática voltada para o Círio, que é da religião católica, temos muitos participantes que são de outras religiões, mas fizeram questão de participar”, ressaltou.

Humanização

Além das oficinas terapêuticas, voltadas para temáticas diversas, o Hospital Galileu realiza ainda outras atividades para aumentar o bem-estar dos pacientes, como o “Cine Galileu”, onde por meio de votação um filme é escolhido e exibido para pacientes e familiares; o “Era uma Vez”, que é voltado para a contação de histórias; “Música no HPEG”, que promove apresentações musicais, estimulando a melhoria na qualidade de vida do paciente; entre outros. 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of