Metropolitano orienta comunidade para prevenção de acidentes com queimaduras

O acidente com queimaduras costuma resultar em sequelas físicas e psicológicas que marcam o paciente para o resto da vida.  Por isso, prevenção e orientação costumam ser as melhores armas para evitar situações, que anualmente levam inúmeras pessoas à internação no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE).

Nesta terça-feira, 6/6, data que marca o Dia Nacional de Luta contra Queimaduras, a unidade em parceria com voluntários da Cruz Vermelha realizou uma simulação de acidente com queimadura para alertar a comunidade dos riscos de manusear fogo, líquidos inflamáveis e quentes, e, caso o episódio ocorra, como proceder para minimizar a dor do paciente até que este chegue ao atendimento especializado.

Os voluntários simularam um acidente com queimadura de segundo grau. Enfermeiro e voluntário da Cruz Vermelha, Joel Miranda dos Santos, explicou que um dos primeiros procedimentos para o socorro à vítima de queimadura é jamais friccionar o local afetado. “Deixe a água cair no local queimado, sempre água em temperatura ambiente. Se formarem bolhas, jamais estoure para que não haja risco de infecção”, orientou durante a simulação.

O médico do CTQ, Antônio João, acrescentou que o uso da água corrente e, somente ela, é fundamental para evitar mais dor ao paciente. “Não é necessário passar pomadas, manteigas ou qualquer outra coisa na região afetada. Já tivemos casos de pacientes em que foi passado borra de café na queimadura. É um produto de difícil limpeza, que poderá causar mais dor ao paciente”, orientou.

O profissional enfatizou a necessidade de que até o paciente chegar à ajuda especializada, como a oferecida no CTQ, que o local da queimadura seja mantido úmido. O médico destacou ainda que ações como a roda de conversa, que sucedeu a simulação, servem para conscientizar mais pessoas sobre a importância de evitar acidentes com queimaduras. “É preciso informar as pessoas para que elas saibam como se prevenir, saibam o que fazer até que chegue a ajuda especializada”, disse.

O gestor operacional da Cruz Vermelha no Pará, Carlos Moraes, diz que a orientação é a arma que as instituições que atuam na área de saúde têm para conscientizar a comunidade. “É muito importante mostrar à população que muitos acidentes com queimaduras podem ser evitados, principalmente os domésticos. Nosso objetivo é orientar e prevenir as pessoas para que não se acidentem e evitem sequelas adicionais”, falou.

Referência no Norte

O Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Metropolitano é referência na região Norte, sendo gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Especializado no atendimento de grandes queimados (média e alta complexidades), o CTQ possui 22 leitos, sendo dois de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), dois de urgência e 18 de internação, e ainda, um bloco cirúrgico com duas salas para procedimentos.

Todos os pacientes que passam pela unidade recebem tratamento multiprofissional, o que inclui recuperação com atendimento nas áreas de Psicologia, Terapia Ocupacional, Fisioterapia, Nutrição, entre outras.

Ano passado, em 2016, o CTQ atendeu 533 pacientes. No ano anterior, em 2015, foram 563. Em 11 anos de funcionamento do Hospital Metropolitano, de março de 2006 a maio de 2017, a unidade já recebeu 6.308 pacientes.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of