Integração entre serviços de Nutrição e Enfermagem é tema de treinamento no Hospital Galileu

O trabalho integrado desenvolvido entre os setores do Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) foi um dos motivos que levou a unidade a conquistar, no início deste ano, a certificação ONA 2 – Acreditado Pleno. E, para garantir a melhoria contínua dessa interação, uma das práticas da unidade são os treinamentos. Nos dias 21 e 22/2, foi a vez de levar enfermeiros e técnicos de Enfermagem do hospital para conhecer um pouco mais do trabalho do Serviço de Nutrição e Dietética (SND) e em quais pontos as duas áreas devem trabalhar com total alinhamento e interação.

A Nutricionista Clínica do Hospital Galileu, Talita Lobato, foi uma das facilitadoras do treinamento, que aconteceu no auditório da unidade, gerida pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Lobato falou sobre o trabalho do SND; a importância de que os horários das refeições não coincidam com o dos curativos; a importância de que enfermeiros e técnicos informem ao SND sobre usuários TFD (Tratamento Fora de Domicílio), que portanto precisarão fazer refeições na unidade; e ainda sobre a necessidade de que os usuários cumpram a dieta indicada pelo nutricionista.

'Como o hospital realiza cirurgias de traqueoplastia, temos um perfil de usuários que no pós-cirúrgico não conseguem fazer a ingestão de alimentos sólidos, e, nesse sentido, a Fonoaudiologia trabalha junto com a Nutrição para determinar a consistência dos alimentos que serão ingeridos por esse paciente. Só que, às vezes, esse paciente quer comer um alimento sólido mesmo assim, e se o enfermeiro promete que vai pedir para mudarem a alimentação dele, será um problema, porque isso não será possível e vai gerar um mal estar”, explica a nutricionista.

Para o enfermeiro do Centro Cirúrgico, Gabriel Diniz, o treinamento foi fundamental para entenderem em quais pontos as duas áreas devem trabalhar em sintonia. “Tem áreas que às vezes achamos que estão afastadas da nossa rotina, mas na verdade integram nosso cuidado com o paciente. Se a gente esquece de liberar o jejum do paciente ou não avisa que o paciente já saiu de alta, pode gerar um transtorno para o paciente além do desperdício de alimentos, e essa uma chave fundamental que a gestão do hospital prega, a sustentabilidade”, afirmou.

A técnica de Enfermagem da área de Acolhimento, Valéria Gomes, também ressaltou que a partir do treinamento, acredita que os profissionais ficarão mais atentos para o cumprimento da dieta por parte dos usuários e para informar o SND sobre qualquer alteração na rotina. “Foi importante porque esclareceu as práticas do SND, e a partir daí lembraremos imediatamente que temos que ter esse controle e, assim que o paciente chegar, ligaremos para a nutricionista passar para liberar a dieta e assim por diante”, declarou.

O próximo treinamento que acontecerá na unidade tratará sobre o tema “Prevenção de Quedas” e acontecerá nos dias 27 e 28/2, no auditório da unidade.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of