Hospital São Lucas mobiliza equipe para assistir vítimas de acidente de trânsito

Técnicos em enfermagem, enfermeiros, maqueiros, médicos, psicólogos e assistentes sociais do Hospital Estadual São Lucas, em Vitória, colocaram em prática, pela primeira vez, o Plano de Atendimento de Múltiplas Vítimas, durante a assistência às vítimas de acidente de trânsito que envolveu dois ônibus, nesta quinta-feira, 23 de novembro.

“O mais importante é que a equipe do hospital estava preparada. Cada integrante sabia exatamente o que deveria fazer para atender os pacientes”, afirmou o coordenador da Urgência e Emergência, Daniel Perinni. Ele explicou que as dezenove pessoas foram conduzidas pelas equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) e pelo Corpo de Bombeiros.

“Enquanto o regaste realizava os primeiros socorros, vários profissionais do hospital foram mobilizados para atender os feridos”, destacou o coordenador. Segundo Daniel, os pacientes eram conduzidos pela área de acesso às ambulâncias e, no local, profissionais direcionavam os pacientes para atendimento. “Enquanto as vítimas eram atendidas pelas equipes médicas e de enfermagem, o serviço social realizava a triagem para identificação das pessoas. Algumas estavam sem documento de identificação pessoal, e a todo o momento familiares buscavam notícias dos feridos”, pontuou.

Para o diretor assistencial do hospital, Rosialdo Lobato, o atendimento foi eficaz e dentro do tempo esperado. “Eram vítimas estáveis, mas que necessitavam de toda atenção e cuidado das equipes. Destaco a atuação dos profissionais envolvidos, demonstrando que estamos preparados para atendimentos mais delicados”, afirmou Lobato.

Sobre o simulado

O simulado do Plano de Atendimento de Múltiplas Vítimas foi realizado no dia 18 de agosto, no Pronto-Socorro do Hospital Estadual São Lucas.

A assistência às vítimas iniciou na área exclusiva de acesso às ambulâncias. No local, médicos e enfermeiros realizavam a triagem dos feridos, classificando como pacientes muitos graves (pulseira vermelha), graves (pulseira amarela) e estáveis (pulseira verde), seguindo o Sistema Manchester de Classificação de Risco.

Após a triagem, as vítimas mais graves eram transferidas para a Sala Vermelha e Amarela, sinalizadas com lonas vermelhas e amarelas, respectivamente.

Além da equipe do hospital, profissionais do Samu 192 e do Corpo de Bombeiros participaram das cenas.

Mantido pelo governo estadual, o Hospital Estadual São Lucas é administrado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar por meio de um contrato de gestão firmado com a Secretaria de Estado de Saúde desde dezembro de 2015.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of