Hospital Regional Público da Transamazônica conscientiza sobre a importância do cuidado ofertado a bebês prematuros

J. V. tem dois anos de idade e nasceu prematuro no Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira (PA). Após o parto, J. V. apresentou problemas respiratórios e ficou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por 25 dias. Hoje, tem 25 quilos e adora brincar. “Ele é hiperativo, não para! O J. foi uma benção. A gente não estava esperando. Quando descobrimos a gestação, minha esposa já estava no quarto mês. A gente sabe que o estado dele logo no início foi grave. Ele respirou 100% por aparelho, rim parou, coração parou. Vivemos momentos de angústia, mas hoje, com essa equipe fantástica que salvou meu filho, ele está bem esbanjando saúde, forte e saudável”, conta o pai, Vitor Conde.

O HRPT é o único na região do Xingu/Transamazônica que têm Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal e UTI Infantil. Para focar cada vez mais a atenção no cuidado com os bebês prematuros, a unidade  fomenta constantemente o diálogo sobre o tema, em ações como os encontros de prematuros que acontecem na unidade no mês de novembro.

De acordo com a médica pediátrica, Diana Sato, somente em 2016 foram atendidas 48 crianças prematuras no HRPT. “Prematuro é aquele bebê que nasce antes de completar os nove meses ou as 37 semanas de vida. É um bebê que não está pronto para viver fora do útero e, por isso, precisa de uma série de cuidados especiais. Essa data foi instituída para reforçar a necessidade dessa atenção que o prematuro precisa, mas como também conscientizar a sociedade em geral, que a prematuridade pode ser evitada”, explica a médica.

Hoje, a prematuridade é a principal causa de morte dos menores de cinco anos de idade no mundo. Segundo a médica, no Brasil nascem quase mil prematuros por dia. Ainda segundo a pediatra, a prematuridade tem como ser evitada, uma vez que sua prevenção salva vidas. “O pré-natal correto faz uma grande diferença. Quando a mãe cumpre o calendário, evita que o bebê nasça antes da hora. E quando a prematuridade acontece, e não pode ser evitada, precisa de suporte para ambos: mãe e bebê. Muitas vezes, o recém-nascido precisa de terapia intensiva, que hoje só o HRPT oferece na região do Xingu”, comenta a médica.

Na semana passada, o Hospital Regional de Altamira realizou no dia 18/11 o segundo encontro de prematuros, no qual participaram a equipe da UTI Neonatal e 20 pais e bebês prematuros que até hoje são acompanhados pela unidade. O encontro fez alusão ao “Dia do Prematuro” celebrado mundialmente em 17/11 e dedicado às crianças que nascem antes do tempo.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of