Hospital Regional de Altamira homenageia mulheres e promove ação pela saúde dos rins

Renata da Silva Rocha, 24 anos, começou a trabalhar no Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira (PA), há cinco anos. Na época, Renata era aprendiz na recepção do guarda-volumes da unidade, porém com dois anos de atuação, ela se tornaria colaboradora efetiva. O que Renata não imaginava é que, pouco tempo depois, ela seria ainda promovida a vigia.

Hoje, ela é a única mulher trabalhando no setor da segurança, e se reveza entre o guarda-volumes e as guaritas das duas entradas da unidade. Apesar de estar em uma profissão predominantemente masculina, a colaboradora afirma que é respeitada e que gosta muito do que faz.

“Eu sempre gostei de trabalhar no guarda-volumes, mas aí conheci os outros postos e comecei a gostar ainda mais. As pessoas sempre me respeitam, às vezes ficam surpresas de ver uma mulher como vigia, mas eu fico muito feliz de ter esse respeito pelo meu trabalho”, afirma a vigia do HRPT.

Renata e as outras colaboradoras do Hospital Regional de Altamira foram presenteadas na quinta-feira, 8/3, com bombons e cartões alusivos ao Dia Internacional da Mulher, com felicitações em nome da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, gestora da unidade desde a sua inauguração, em 2006, por meio de contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

As entregas foram realizadas pelo Grupo de Trabalho de Humanização, que passou por todos os setores da unidade para parabenizar as colaboradoras. Para completar a homenagem, a banda do 51º Batalhão de Infantaria e Selva (BIS) realizou uma apresentação especial no pátio do hospital.

Dia Mundial do Rim

Mas a homenagem às mulheres não foi a única ação do dia no Hospital Regional. No dia 8/3 é também celebrado o Dia Mundial do Rim. E para comemorar a data, o HRPT ofertou três exames a toda a população que procurou a unidade nesta quinta: dosagem de creatinina, aferição da pressão arterial e o teste de glicemia.

O responsável técnico pelo setor de Nefrologia do hospital, Eduardo dos Anjos, explica que o exame realizado dosa o nível de creatinina no sangue – substância eliminada pelos rins. Portanto, taxas elevadas dela podem indicar, precocemente, alguma insuficiência renal. Já o teste de glicemia e a aferição de pressão, além da pesagem, são importantes porque diabéticos, hipertensos e obesos têm mais propensão a problemas renais.  

“Pessoas com hipertensão, diabetes, obesidade, com histórico familiar de doença renal ou com doença cardiovascular, além de idosos e fumantes, precisam tomar mais cuidado porque podem ter um problema na função renal sem saber. A maioria dos pacientes que são encaminhados ao procedimento da hemodiálise descobriram a doença tardiamente”, afirma o nefrologista.  

O HRPT, único na região de Integração do Xingu a oferecer o serviço de hemodiálise com 21 máquinas, adere desde 2008 à campanha mundial promovida pela Sociedade Brasileira de Nefrologia, que este ano focou na saúde da mulher. “Nós temos a prática de comemorar junto aos nossos pacientes e colaboradores esses dias importantes, e esse ano coincidiu o Dia Internacional da Mulher e o Dia Mundial do Rim. Então a gente resolveu fazer um evento aqui com orientações e exames. O nosso grande objetivo é prevenir as doenças e não só tratá-las”, destaca o diretor-geral do HRPT, Edson Primo. 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of