Hospital Galileu participa da campanha “Diga não à Desnutrição”

A prevalência da desnutrição em pacientes internados em unidades hospitalares privadas e públicas do Brasil tem chamado a atenção da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (Braspen). Nos últimos 20 anos, a desnutrição passou de 48% para 60%. Diante desse cenário, a Braspen deu início este ano a campanha “Diga não à Desnutrição”, que teve como Dia D esta quarta-feira (6/6). O Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém (PA), mesmo tendo prevalência de pacientes bem nutridos, aderiu à campanha.

A ação foi voltada para alertar a equipe Multidisciplinar da unidade. A nutricionista do Hospital Galileu, Talita Lobato, ministrou a palestra para um público formado por enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, entre outros, que fazem parte também da Equipe Multidisciplinar de Terapia Nutricional (EMTN) do Hospital.

“A abordagem sobre desnutrição precisa parar de ser só de profissionais especializados em nutrição e passar a ser de toda a equipe. O profissional de saúde precisa ter noção desse risco dentro do hospital. É um risco inerente ao tratamento e é por isso que temos hoje no Hospital Galileu a EMTN, que realiza reuniões mensais e semanais sobre o quadro de cada paciente”, ressaltou a nutricionista.

Durante a palestra foram abordados os 11 passos para combater a desnutrição. A nutricionista explica a importância de debater o tema com os profissionais mesmo que a unidade tenha uma boa estrutura multidisciplinar. “Estamos em um caminho bom, mas pretendemos com essa campanha mostrar a importância para a equipe multidisciplinar. Por exemplo, o fisioterapeuta tem um ponto só dele dentro dos 11 passos. Quem iria imaginar que o fisioterapeuta tem a ver com a nutrição? Então, é importante para nós mostrar que estamos no caminho certo e engajar todos a manter esse caminho”, destacou Talita Lobato.

A Fisioterapeuta do HPEG, Lorena Borges, parabenizou a iniciativa, que influencia diretamente no seu trabalho. “O paciente desnutrido apresenta fadiga muscular muito mais rápido, baixa resistência a atividade física, diferente do paciente bem nutrido. Então, são coisas que conseguimos identificar durante a fisioterapia e que, quando identificado, entramos em contato com a equipe da nutrição”, disse.

A desnutrição pode trazer também diversos problemas para a recuperação do paciente, entre elas, a demora no processo de cicatrização, maior risco de infecções e risco de complicações pós-cirúrgicas. “Achei muito interessante a palestra, porque é um assunto que precisa mesmo ter toda a atenção da equipe multidisciplinar para que o técnico de enfermagem e/ou enfermeiro prestem atenção se o paciente comeu toda a comida, se tomou o suplemento, e a qualquer mudança informem a equipe de nutrição”, afirmou a enfermeira, Vanessa Savino.

Unidade

O Hospital Público Estadual Galileu é uma unidade hospitalar de retaguarda, gerida pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). A unidade atende baixa e média complexidades, prestando assistência hospitalar em traumato-ortopedia, clínica médica e cardiologia. Em 2018, conquistou a certificação ONA 2 – Acreditado Pleno, concedida pela Organização Nacional de Acreditação a instituições que, além de atender aos critérios de segurança, apresentam gestão integrada, com processos ocorrendo de maneira fluida e plena comunicação entre as atividades.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of