Hospitais públicos atendem mais 8.600 idosos no Pará

Três hospitais públicos do Pará, geridos pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), registraram mais de 8.600 atendimentos a pessoas idosas entre 2015 e agosto de 2017.

O Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, recebeu 2.886 desses pacientes, o equivalente a 33%. Lá, os idosos representam a maioria dos atendimentos de acidente vascular cerebral (AVC) e cirurgia eletiva nas especialidades de Cirurgia Geral (pedra na vesícula), Urologia (problemas de próstata), Oftalmologia (catarata) e Ortopedia (fratura de fêmur por queda).

Os acidentes de trânsito e doméstico também estão entre os principais motivos de atendimento a esse público na unidade, a exemplo de seu Francisco Mendes do Nascimento, de 91 anos, que foi admitido na unidade por conta de uma queda sofrida em casa há mais de meses. 'O atendimento do hospital é bom. Fui acompanhado direitinho e a comida é boa. Ainda sinto dores, mas é natural da recuperação', disse o morador do município de Jacundá.

No Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua (PA), os números saltam para mais de 4.300 atendimentos a idosos, durante o mesmo período, com acidentes de trânsito e quedas liderando a lista dos principais motivos.

O clínico médico do HRSP, Marcelo Medeiros, orienta que o uso de barras de apoio no banheiro é fundamental para prevenir quedas dentro de casa, bem como, atentar para pisos molhados e adequar degraus de escadas. Ele também comenta que é importante ingerir alimentos ricos em cálcio e praticar regulamente atividade física para prevenir a osteoporose. “É importante que o idoso pratique atividade física, mas com orientação profissional, para que saiba o tipo de atividade apropriada para ele. Geralmente a caminhada já é suficiente: todo dia, uma hora por dia”, recomendou o médico.

Hábitos saudáveis

Além de fortalecer a estrutura óssea, a alimentação balanceada ajuda a evitar ou controlar patologias como o diabetes e a hipertensão arterial, fatores de risco para doenças do coração e acidente vascular cerebral. Nesse sentido, é preciso reduzir a ingestão de frituras, alimentos ricos em sal, açúcar e carboidrato e, ao mesmo tempo, aumentar a quantidade de frutas, verduras e legumes.

“Para quem já tem histórico de diabetes e hipertensão na família, desde novo é preciso procurar o posto de saúde, fazer exame e equilibrar a alimentação, diminuindo o açúcar. Uma velhice saudável depende muito do estilo de vida quando se é mais jovem”, afirmou Marcelo Medeiros.

Para o profissional autônomo Walter Lopes Monteiro, de 63 anos, morador de Castanhal (PA), foi uma doença comum em pessoas idosas que o fez procurar atendimento em um hospital. Diagnosticado com cardiomegalia, mais conhecida como coração grande, e pneumonia, Walter foi transferido para Belém para continuar o tratamento no Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), onde está internado há 14 dias. “Graças a Deus, estou sendo bem atendido e já estou muito melhor. Melhor atendimento do que esse não tem”, afirmou o idoso.

No período de 2015 a agosto deste ano, a unidade atendeu cerca de 1.500 idosos, a maioria com pneumonia e insuficiência cardíaca.

Cuidador de idoso

Pensando em qualificar pessoas para zelarem e atenderem de forma adequada os idosos do município de Belém, bem como, ofertar à comunidade de baixa renda uma oportunidade de capacitação profissional, totalmente gratuita, em janeiro de 2017, o Hospital Galileu iniciou o curso profissionalizante de Cuidador do Idoso.

A iniciativa já formou 116 pessoas, que aprenderam sobre ética e orientação profissional; o papel social do cuidador de idoso; políticas públicas e direitos do idoso; fatores psicossociais do processo de envelhecer; atividade física na terceira idade; e noções básicas de primeiros socorros, entre outros assuntos.

O diretor Operacional da Pró-Saúde no Pará, Paulo Czrnhak, explica que é primordial disseminar informação sobre os cuidados necessários para com o idoso, para que, assim, possam ser tomadas as atitudes certas para a melhoria da qualidade de vida dessas pessoas. 'Quando a pessoa está envelhecendo, requer atenção e cuidado, e para isso, é necessário orientação. Como entidade beneficente, que prima pela humanização, nos comprometemos a disseminar as boas práticas de como melhorar a qualidade de vida do idoso, e assim, atuar em prol de uma sociedade mais saudável', comentou o diretor.

Workshop

Outra ação da Pró-Saúde para humanizar o cuidado com o idoso será realizada na próxima quinta-feira, 5/10, em Marabá. Trata-se do I Workshop de Saúde do Idoso, uma das 50 'Ações do Bem' promovidas pela entidade para comemorar os seus 50 anos.  Durante a programação, médicos, nutricionistas, assistentes sociais e farmacêuticos, que atuam no Hospital Regional do Sudeste do Pará, vão orientar os participantes sobre o tratamento e a prevenção das principais doenças na terceira idade. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo e-mail saudedoidoso@hrspprosaude.org.br.