Hospitais do Pará recebem ‘Prêmio Amigo do Meio Ambiente’

Começou ontem, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo, a 3ª Conferência Latino-americana da Rede Global de Hospitais Verdes e Saudáveis, e o 10º Seminário Hospitais Saudáveis 2017. O evento deste ano tem como objetivo fortalecer os cuidados de saúde para uma liderança ambientalmente sustentável e saudável.

Após a abertura foi realizada a cerimônia de entrega do “Prêmio Amigo do Meio Ambiente – 2017”, promovido pela Secretaria da Saúde de São Paulo. Neste ano, o prêmio recebeu a inscrição de 116 trabalhos, dos quais 15 foram contemplados, entre eles o do Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), de Altamira, Pará, e o do Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), de Belém do Pará, ambos administrados pela Pró-Saúde Edson Primo, diretor-geral do HRTP, recebeu o prêmio pelo trabalho sobre “Gerenciamento de Resíduos e seu Impacto no Meio Ambiente”. Saulo Mengarda, diretor-geral do HPEG, representou a Unidade pelo resultado obtido com o “Programa Anual de Liderança e Mitigação de Gases de Efeito Estufa”.

Após a premiação foi realizada a conferência de abertura do evento com o tema “Fortalecendo os cuidados de saúde na América Latina: por uma liderança ambientalmente sustentável e saudável”.  A diretora-executiva do programa “Saúde Sem Dano”, e diretora da Rede Global Hospitais Verdes e Saudáveis, na América Latina, Verónica Odriozola, presidiu a mesa que estava composta por Pablo Durán Valenzuela, chefe do Departamento de Saúde Ocupacional e Gestão Ambiental do Ministério da Saúde do Chile, Alexander Durán Pañafiel, secretário de Saúde da cidade de Santiago de Cali, na Colômbia, e Gonzalo Vecina Neto, professor da Faculdade de Saúde Pública da USP e presidente do Instituto de Apoio ao Desenvolvimento do SUS – IAD-SUS.

Em sua palestra, Verónica Odriozola, falou sobre a importância de as lideranças levarem o trabalho ambiental para além dos hospitais e sistemas de saúde. “Devemos focar nossa atenção e chegar em políticas públicas, principalmente nos desafios do clima e da saúde ambiental do planeta”, afirmou. O chileno Pablo Durán Valenzuela e o colombiano Alexander Durán Peñafiel apresentaram um balanço dos programas de hospitais saudáveis e das ações ambientais em seus países. Peñafiel lembrou que seu país vivia em guerra e que só há pouco tempo as unidades de saúde deixaram de ser hospitais de combate. Explicou que agora os administradores começam a adotar estratégias para reduzir gastos com papeis, com energia. “Cuidar da parte ambiental representa economia de recursos”. Citou, como exemplo, que utilizam drones para levar amostras de laboratórios para longas distâncias. 

O professor Gonzalo Vecina Neto afirmou não saber se teria condições de fazer um balanço dos trabalhos em nosso país. “Hoje tivemos a premiação de hospitais na Transamazônica. Pensava que lá só tinha a devastação da Amazônia”, brincou. Disse ainda que a luta por ambientes saudáveis produz uma carga de doença menor.

Sobre liderança, afirmou que o líder tem um papel diferente dentro da sociedade. “O líder tem que saber onde está, tem que decifrar as ambiguidades de seu momento, entender o poder e a política. Deve ser emocional e criativo. Precisa ter empatia, ser capaz de ver um futuro desejável e impossível e conseguir fazer com que as pessoas construam esse impossível. Disse ainda eu o líder precisa ter habilidades da micro-gestão e compromisso social. “Não existe líder de verdade se não houver compromisso social, que se constrói disseminando conhecimento e mostrando a realidade em busca de um mundo melhor e mais igual”, concluiu.

O diretor de Desenvolvimento da Pró-Saúde, Danilo Oliveira da Silva, entregou os prêmios aos diretores do HRPT e do HPEG.

O evento segue até quarta-feira, dia 11 de outubro. Hoje estão previstas as premiações do “Desafio 2020” e do “Desafio de Resíduos 2016”, que contarão com algumas Unidades administradas pela Pró-Saúde entre os vencedores.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of