Fórum visou ampliar segurança ao paciente no Hospital Metropolitano

Com o objetivo de ampliar a segurança do paciente e o contato humanizado, mais de 100 profissionais enfermeiros se reuniram e participaram do I Fórum Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), cuja promoção foi da diretoria Assistencial, no final do mês de dezembro. A programação foi realizada nos três turnos, para englobar o maior número possível de colaboradores. 

A Sistematização da Assistência de Enfermagem é uma metodologia científica e ordenada. A implementação possibilita ao enfermeiro e sua equipe desenvolverem o processo de Enfermagem utilizando o conhecimento técnico-científico e humanizado, ampliando o respaldo científico. A diretora Assistencial do Hospital Metropolitano, Ivanete Prestes, explicou que a metodologia científica vem sendo cada vez mais utilizada na prática assistencial, conferindo maior segurança aos pacientes. “Além da melhoria da qualidade da assistência e maior autonomia aos profissionais da Enfermagem”, citou. Em linhas gerais, a SAE trabalha com o histórico do usuário, englobando o exame físico, possibilitando o diagnóstico de enfermagem e intervenção ativa.   

O Hospital Metropolitano trabalha para implementar o processo de Enfermagem de acordo com o perfil dos usuários atendidos na instituição. A unidade tem fomentado o debate em grupo sobre o assunto. O processo inicial durou quatro meses, sendo concluído com a primeira edição do Fórum do SAE. Nesse período de estudo, foram realizadas pesquisas bibliográficas utilizando a busca ativa na base de dados da LILACS e SCIELO, respeitando todos os princípios éticos, além de discussão coletiva para a escolha e a confirmação das teorias para o embasamento científico de construção da SAE. Em um terceiro momento, foram elaborados instrumentos de trabalho que nortearão os cuidados de Enfermagem, e manuais e treinamentos para as equipes assistenciais e para os gestores da área.

A enfermeira Thais Franco comentou que a SAE visa debater e ampliar a segurança frequente do usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). Ainda segundo ela, o Fórum fortaleceu a equipe de Enfermagem e o papel do enfermeiro. “Somos guiados por teorias e conhecimentos científicos. O processo não é um medidor de ações, mas também de obtenção de resultado”.  

De acordo com a resolução do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) nº. 358/2009, a SAE é uma atividade privativa do enfermeiro. A implantação da SAE é baseada no modelo de prática clínica do NANDA, NIC e NOC, com metodologia ativa, concepção educativa que estimula processos de ensino-aprendizagem crítico-reflexivo, estimulando os colaboradores da instituição como principais agentes de seu aprendizado. Já a enfermeira Talita Oliveira, a SAE é norteadora de atividades, funções e, com isso, traz autonomia a equipe de enfermagem. “Aliado a isso, iremos planejar as ações e colocarmos as intervenções em prática, contribuindo com a segurança do paciente”.  

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of