Feira ajuda a gerar renda extra para mães de pacientes do Hospital Oncológico Infantil

A vida das mães de pacientes oncológicos infanto-juvenis passa a ser de expectativa quando elas passam a acompanhar os filhos no tratamento contra o câncer. Às vezes mudam de casa, de cidade e de rotina. Com essas mudanças, a produtividade da mulher muitas vezes fica comprometida.

Um grupo de mães de pacientes do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo (HOIOL), em Belém (PA), começou a ter a chance de mudar novamente suas vidas. Elas participaram nesta quarta-feira, 5/9, da primeira edição do Canto do Empreendedor, uma iniciativa que incentiva o empreendedorismo entre elas como forma de gerar renda e fortalecer os cuidados em oncologia tão necessários às famílias dos pacientes.

Com a feira, as mães tiveram seu dia de protagonista. As atenções ficaram voltadas à produção de alimentos feitos por elas. Bolos, pudins, tortas e biscoitos integrais fizeram parte das guloseimas oferecidas durante a feira. Os pratos foram vendidos aos colaboradores do Oncológico Infantil e a outros usuários da unidade, gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa).

A feirinha superou as expectativas e muitas mães, como a servidora pública Ivenice de Sousa Ribeiro, venderam a produção rapidamente. Moradora do município de Augusto Corrêa, na região nordeste do Pará, a servidora deixou o trabalho para acompanhar o tratamento do filho de 13 anos no Oncológico Infantil.

Ivenice levou mousse de maracujá e pavê de chocolate para sua vendinha no Canto do Empreendedor, que iniciou às 9h. A produção acabou cerca de 40 minutos depois, quando as últimas fatias foram vendidas.  Surpresa, ela comemorou a rápida venda. “Achei que seria algo pequeno, mas ainda assim fiz propaganda aqui dos meus doces e surtiu efeito”, celebrou.

Quem também vendeu toda a produção de tortas e comidas típicas do Pará foi Lenilda Trindade Pinto, mãe do menino F.P., de seis anos, em tratamento no Oncológico Infantil desde 2015. No Canto do Empreendedor ela vendeu torta salgada e bolos.

Além dos doces, outro prato produzido por ela costuma agradar os clientes. É o vatapá, que na receita de Lenilda leva frango e creme de leite. Os ingredientes substituem o tradicional camarão paraense e o leite de coco. “O leite de coco é substituído pelo leite integral ou creme de leite por causa da gordura. O camarão é remoso para quem está fazendo tratamento. O dendê a gente coloca bem pouquinho mesmo, só para dar cor”, explicou.

Na avaliação da diretora-geral do Hospital Oncológico Infantil, Alba Muniz, a realização do Canto do Empreendedor coloca as mães dos pacientes da unidade no papel de protagonistas. A diretora explica que a feira é o resultado prático do incentivo dado às mães durante o “I Workshop Empreender – Fortalecendo o Protagonismo das Mulheres”, realizado no mês de junho no hotel Princesa Louçã, em Belém. O workshop foi uma das '50 Ações do Bem' que a Pró-Saúde está promovendo nas unidades que gerencia, em todo o país,  para promoção da saúde e de ações relevantes a colaboradores, pacientes, seus familiares e a comunidade em que estão inseridas. Na ocasião, foi sugerida a promoção de iniciativas que dessem oportunidade de renda para as mães dos pacientes do Oncológico Infantil.

“Fizemos a adesão à ONU Mulheres por causa destas mães. Elas precisam ser incentivadas a retomar suas vidas ativamente, precisam crer que são mães cuidando de crianças com câncer, mas que continua sendo mulheres produtivas. Durante o workshop despertamos nelas isso e é muito bom ver a alegria delas hoje”, disse. A diretora expressou, ainda, a felicidade por ver as mães em funções produtivas. “Hoje elas foram protagonistas, tudo o que trouxeram vendeu muito rápido”, comemorou.

A coordenadora de Humanização da unidade, Paula Lima, ressaltou o caráter inicial do Canto do Empreendedor. “É o começo de um projeto que queremos que seja ampliado, que mude a vida das famílias das crianças que fazem tratamento aqui no hospital. Sentimos o engajamento dessas mães que passaram a noite para produzir os alimentos que trouxeram hoje e saíram daqui com uma renda extra, que não estava planejada para o orçamento do mês, mas que, com certeza, vai fazer a diferença”, disse.

Paula afirmou que o objetivo do Canto do Empreendedor é ajudar na renda das mães, mas também passa pela orientação para que elas tenham noções de negócio e possam gerenciar sua produção de maneira racional. “Queremos que elas saibam produzir, controlar seus gastos e que busquem a profissionalização dos seus negócios”, finalizou.