Farmácia Hospitalar e segurança do paciente são debatidos no Hospital Metropolitano

A partir do Desafio Global de Segurança do Paciente, lançado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em março de 2017, que projeta reduzir pela metade os danos evitáveis associados a medicamentos, em um período de cinco anos; o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua (PA), promove a 1ª Semana de Farmácia Hospitalar da Pró-Saúde com debates e atividades que visam melhorar a segurança na prescrição, no uso e na administração dos medicamentos em pacientes. A abertura da programação aconteceu nesta terça-feira, 22 de janeiro, e segue até o dia 25. 

“Para alcançarmos esse objetivo, vamos aprimorar os processos de atendimento, com a inclusão de novas diretrizes de assistência ao paciente em que os profissionais da Farmácia assumam um papel estratégico nesse contexto”, explicou Fernando Paragó, diretor Médico Corporativo da Pró-Saúde, organização social gestora do Hospital Metropolitano, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Durante o período, serão realizadas dinâmicas in loco nas áreas assistenciais sobre medicamentos de alta vigilância e cores de identificação utilizadas nas medicações no Hospital; fluxo de acionamento, reposição e auditoria dos Carros de Parada; e reconciliações medicamentosas e orientação de alta. Será oferecida ainda a Oficina de Prescrição Segura, em que serão entregues prescrições com erros para as equipes analisarem e apontarem os erros encontrados e as condutas corretas a serem tomadas.

Na ocasião, serão apresentadas ações de gestão que resultam em melhorias significativas, com os cases “Implantação e Implementação da Farmácia Clínica em um Hospital de Média e Alta Complexidade, em Ananindeua (PA)”, “Implementação da Dispensação de Medicamentos por Horário em Bolsas Retornáveis no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência” e o projeto pioneiro de “Implantação de Alarme após Abertura dos Carros de Emergência no Pronto Atendimento no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência: desafios e evoluções”.

O evento é voltado para farmacêuticos, profissionais de enfermagem, médicos e equipe multiprofissional, pois todos estão ligados à assistência ao usuário. A coordenadora de Farmácia do HMUE, Keyla Lima, explica que a Semana de Farmácia Hospitalar tem o objetivo de contribuir na melhoria contínua da formação e preparação dos profissionais de saúde da Unidade. 

“Os conhecimentos e práticas apresentadas vão possibilitar ganhos importantes para a atuação e desempenho desses profissionais, além de melhorar a qualidade e a segurança dos cuidados prestados aos pacientes”, destaca. 

De acordo com a OMS, os incidentes envolvendo medicamentos afetam, aproximadamente, 1,3 milhão de pessoas todos os anos, apenas nos Estados Unidos, país onde essas ocorrências são monitoradas constantemente. Estima-se que, em nações de baixa renda, os registros de incidentes envolvendo medicamentos sejam o dobro. O cálculo do custo associado a esses incidentes pode alcançar, segundo a OMS, 42 bilhões de dólares por ano no mundo.