Colaboradores do HRPT comemoram dez anos de dedicação profissional

Trabalhar no Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira, era um sonho de Rosa de Paula Leite. “Quando o hospital inaugurou, imediatamente entreguei meu currículo no Recursos Humanos, na época eu estava há quatro anos desempregada, mas fazia alguns trabalhos como autônoma, porque precisava ajudar no orçamento familiar”, conta a colaboradora, que logo em seguida foi chamada e efetivada, e hoje, há quase dez anos, ela trabalha na unidade, que  é desde sua inauguração gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). 

“Sou uma profissional de muita responsabilidade e também de sorte. Me orgulho em fazer parte desta instituição. Ao longo desses anos eu conquistei maturidade profissional, experiência e também algumas realizações pessoais, como a minha casa, minha moto e o mais importante: minha formação superior em pedagogia”, comemora dona Rosa, que atualmente está com 40 anos, e é responsável por toda parte de higiene e limpeza do Hospital, e lidera uma equipe de 40 pessoas que compõe o quadro do Serviço de Processamento de Roupa (SPR) Serviço de Higiene e Limpeza (SHL).

O mesmo sentimento de satisfação profissional é compartilhado pela técnica de Enfermagem, Cleia Gomes, de 57 anos, lotada na Central de Material Esterilizado (CME). A colaboradora pretende se aposentar pelo hospital. Neste ano, ela também completa dez anos de serviços prestados ao HRPT e a comunidade da Transamazônica/Xingu. “Quando fui selecionada para fazer parte do quadro de colaboradores do hospital eu achei que fosse brincadeira, pois entreguei meu currículo e uma semana depois fui chamada para fazer a entrevista e os testes, e passei”, relata.

Ao longo desses dez anos, Cleia conta que aprendeu muito, e que aproveitou as oportunidades que apareceram. “Comecei como auxiliar de Enfermagem, em seguida concluí meu ensino médio e depois ganhei uma bolsa para fazer o curso técnico de Enfermagem. Durante esses anos eu já conquistei mais um imóvel e fiz viagens, o que me torna uma pessoa e uma profissional realizada”, comemora dona Cleia Gomes.

Desde sua implantação, o hospital movimentou a economia da Região do Xingu, ele é considerado o segundo maior empregador da região, ficando atrás apenas da Prefeitura. Atualmente, a unidade emprega mais de 500 colaboradores diretos e incrementa uma parcela considerável de recursos não só em Altamira, mas em toda região da Transamazônica.

Unidade

O HRPT oferta 97 leitos, que estão distribuídos em 21 clínicos, 32 cirúrgicos, 15 pediátricos, seis obstétricos, nove UTI Adulto, cinco UTI pediátrica, cinco UTI neonatal, quatro berçários de alto risco, cinco consultórios ambulatoriais, quatro salas no centro cirúrgico, 21 máquinas de hemodiálise e 11 no pronto socorro. O foco do atendimento é nas especialidades de neurocirurgia, hemodiálise, traumatologia, ortopedia e cirurgia geral. A unidade atende pacientes de nove municípios da região da Transamazônica/Xingu, regulados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).  

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of