Captação de órgãos é feita com sucesso e beneficia quatro pacientes

Foi realizada com sucesso, na tarde dessa terça-feira (25), a captação e o transplante de múltiplos órgãos doados pela família de um paciente de 43 anos, vítima de trauma, atendido no Hospital Estadual São Lucas, em Vitória. A Central de Transplantes do Espírito Santo ressaltou que, apesar da dor da perda, a família tomou uma decisão que, de imediato, beneficiou quatro pessoas com transplante de coração, fígado e rim, e que poderá beneficiar outras duas pessoas com as córneas, após o processamento desses tecidos.

A coordenadora da Central de Transplantes do Espírito Santo, Raquel Duarte Corrêa Matiello, explica que a definição de quem receberá os órgãos doados é feita por meio de um sistema on-line do Ministério da Saúde, obedecendo a critérios rígidos estabelecidos pela legislação federal. No caso da doação realizada nessa terça-feira, foram beneficiados pacientes de Cachoeiro de Itapemirim (fígado), Vila Velha (coração e um rim) e Vitória (um rim).

“É importante que cada pessoa que apoia este ato de amor ao próximo se declare doadora de órgãos conversando com sua família e enfatizando sua vontade. Isso porque, quem autoriza a doação dos órgãos é a família, depois que a pessoa morre, e será muito mais tranquilo para os familiares tomarem essa decisão se souberem da vontade do ente querido. Hoje, ainda existem no estado 1.127 pacientes à espera de um órgão, e a realização do transplante depende de um ‘Sim’, ou seja, da autorização familiar”, enfatizou a coordenadora da Central de Transplantes.

Dados

No primeiro semestre de 2017, a Central de Transplantes do Espírito Santo observou um aumento de 35% das doações efetivas de múltiplos órgãos para transplante em comparação com o mesmo período de 2016. Raquel Matiello afirmou que, apesar da redução da doação de córneas, esse resultado se deve ao “Sim” das famílias que autorizaram a doação de órgãos e, com isso, beneficiaram 200 pacientes que estavam aguardando na fila por um transplante.

Mas se por um lado o “Sim” das famílias ajudou a salvar mais vidas, no primeiro semestre deste ano, o número de familiares que se recusaram a doar os órgãos de seu ente querido foi grande e acabou impedindo que pessoas doentes pudessem ser beneficiadas com um transplante. “Tivemos 67 pacientes aptos para doação de órgãos no primeiro semestre deste ano. Após a entrevista com os familiares desses pacientes, 23 famílias autorizaram a doação e 44 negaram, o que constitui 65% de negativa familiar”, comentou Raquel Matiello.

Outro fator para o qual a coordenadora chamou atenção foi o surto de febre amarela que o Espírito Santo enfrentou no início deste ano. Segundo Raquel Matiello, com a vacinação em massa da população capixaba, muitos protocolos de morte encefálica foram considerados inviáveis para a doação de órgãos, fato que pode ter contribuído para a limitação do crescimento das doações efetivas.

Capacitação

Para fortalecer as ações de transplante no Espírito Santo e beneficiar mais cidadãos, a Central de Transplantes possui um programa de capacitação técnica para as Comissões Intra-Hospitalares de Doações de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTTs). De acordo com a coordenadora estadual das CIHDOTTs, nesses treinamentos são abordados temas específicos sobre doação e transplante, como legislação nacional, protocolo de morte encefálica, doação de órgãos e entrevista familiar.

 

Comparativo do Número de Transplantes Realizados no Espírito Santo

Órgão

Jan-Jun/2016

Jan-Jun/2017

Percentual

Córneas

168

126

-25%

Rim (falecido)

22

39

+77%

Rim (vivo)

11

14

+27%

Fígado

10

11

+10%

Coração

4

5

+25%

Osso

0

0

Esclera

12

6

-50%

Medula Óssea Autólogo

18

23

+27,7%

Total

245

224

-8,57%

 

Lista de espera

Coração: 05

Fígado: 53      

Córnea: 105

Rim: 964                    

Total: 1.127

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of