Agricultora aposentada ganha festa de aniversário de 100 anos no Hospital Metropolitano

Ser longevo, chegar aos 100 anos e estar com a família é o desejo de muita gente. Mas poucos, de fato, podem fazer isso. É o caso da agricultora aposentada Emirena Correa, que completou um século de vida neste mês, no dia 04. Mas a comemoração, foi esta semana. Emirena celebrou a nova idade com a família, em uma pequena cerimônia no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua (PA), onde se recuperou de um acidente doméstico.

Na unidade gerenciada pela Pró-Saúde sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), a aposentada ganhou o carinho das netas e dos filhos. Com a ajuda das profissionais do setor de Psicossocial, a família pôde comemorar  ao lado de Emirena. Quando jovem, a agricultora e o marido eram responsáveis pela plantação de alimentos como milho, mandioca e arroz em Curuçá, cidade do nordeste paraense.

A neta Andreia Correa acompanhou Emerina nos dias após uma cirurgia no fêmur. Apegada à avó, por quem foi criada, Andreia não poupou esforços para estar com a aposentada, a quem chama carinhosamente de mãe. Emerina é descrita pelos filhos como uma mulher guerreira, que enfrenta dores e tem na religião seu ponto de fé. “Ela é muito católica, reza o rosário desde todos os dias e quando os enfermeiros iam tirar o terço da mão dela dizia ‘larga o meu rosário’”, contou.

Ao completar 100 anos, a aposentada se disse feliz e fez graça com uma das filhas: “Só veio me visitar porque era meu aniversário, né (sic)?”. Viúva, a agricultora comentou com outra filha, dias antes do aniversário, a falta que sente do marido, falecido em março de 2009. “Ele me deixou sozinha aqui”, disse com a saudade de quem passou 70 anos ao lado do companheiro.

Para o filho, Valentim Correa, Emirena representa força. “Ela não se deixa abater, enfrenta a dor, não se entrega. É um exemplo para a gente, porque muitos sentem uma dor e se entregam. Ela enfrenta até onde puder”, falou carinhosamente.

A técnica de Enfermagem, Monayara Andrade, foi uma das colaboradoras que trabalhou para ajudar na recuperação da aposentada. A profissional conta que o cuidado com o idoso é um de seus interesses na área assistencial. “O idoso é um tipo de paciente que gosto de cuidar. É gratificante ter a oportunidade de cuidar de um ser humano que tem muitas histórias para contar”, finalizou.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of