Ação educativa sobre a importância do prontuário para assistência segura é realizada no HPEG

Os colaboradores da assistência do Hospital Público Estadual Galileu foram surpreendidos com um guarda-chuva de perguntas e um super carimbo usado em prontuários na manhã desta terça-feira, 28/08. O setor de Auditoria de Prontuários promoveu uma ação educativa na Unidade.

Com o tema “A segurança do usuário começa pelo prontuário”, a ação teve o objetivo de conscientizar a equipe multiprofissional quanto a importância no preenchimento correto do documento, principalmente em relação a erros que surgem durante a rotina, como por exemplo, letra ilegível, rasuras, falta de assinatura e carimbo. 

Foi usado um super carimbo para representar o uso obrigatório do item e, também, um guarda-chuva com perguntas educativas sobre a legibilidade, legalidade, importância de registro, a evolução diária multiprofissional e anotação de enfermagem, “quisemos usar a metáfora do guarda-chuva porque ele nos protege do fenômeno natural, assim como, o prontuário protege o profissional da saúde em questões judiciais e éticas e, principalmente, o paciente” assegurou a enfermeira responsável pela ação Rafaela Salgueiro.

O prontuário é uma ficha de cadastro do paciente. Nele precisam conter todas as informações que são inerentes aos processos assistenciais, desde a admissão do paciente até a alta hospitalar, “o profissional deve fazer o registro de exames, cirurgias, a internação na UTI, por exemplo. Hoje vemos essa fragilidade em informações imprescindíveis. É importante reiterar que a assinatura e o uso do carimbo é obrigatório” ressaltou a enfermeira.

A técnica de enfermagem, Paula Betânia, alcançou nota máxima nas respostas sobre a importância do prontuário. Ela comenta o resultado positivo da ação, “achei muito criativa essa ideia, prende nossa atenção e não foge em nada da realidade que vivemos no hospital. Isso é o que acontece todo dia”. 

A ideia e a execução tiveram apoio dos setores de humanização, educação continuada e manutenção. O material usado na dinâmica foi proveniente do setor de farmácia, reutilizado com o intuito de seguir um dos pilares da Unidade que é a sustentabilidade. “A humanização atua muito em parceria nessas ações educativas e de sensibilização. O setor está presente em todos os processos de atuação, tanto para o paciente quanto para o colaborador, esse é o principal objetivo”, frisou a assistente administrativo Lidiana Ferreira.