Ação de pré-Carnaval alegra e sensibiliza pacientes do Hospital Galileu

Há mais de um mês internado no Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), o mototaxista Gabriel Rocha, de 21 anos, conhece bem as consequências de um acidente de trânsito. Depois de uma queda com a moto, precisou passar por cirurgia e longos períodos de internação. Ao todo, foram cinco procedimentos cirúrgicos no período de um ano. Além das sequelas físicas, o emocional também é confrontado com as saudades de casa e da família.

Nesta quinta-feira, 14, Gabriel foi um dos pacientes do HPEG beneficiados com a ação de pré-Carnaval realizada na Unidade. A alegria proporcionada pela visita dos voluntários do grupo “Voluntarização” trouxe uma mensagem de esperança e saúde. “Ficamos naturalmente ansiosos depois de tanto tempo no ambiente hospitalar e é uma animação muito grande receber pessoas que brincam, nos divertem e trazem uma mensagem positiva para confiarmos no amanhã e que tudo ficará melhor”, diz Gabriel.

O grupo “Voluntarização é formado por acadêmicos de Enfermagem, Serviço Social e Terapia Ocupacional, que fazem parte do grupo de voluntários de humanização da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará. Essa é a segunda visita do grupo no HPEG, gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Dessa vez, o grupo investiu nas mensagens de positividade, por meio de musicoterapia e na sensibilização para uma direção segura e com responsabilidade pela importância da vida de todos no trânsito.

“Uma atividade lúdica como essa permite a brincadeira, o relaxamento, além de um alerta sobre os perigos do trânsito, ainda mais dentro do nosso hospital que tem o perfil ortopédico. Muitos dos nossos pacientes são oriundos de acidentes, então é importante essa reflexão”, ressalta o diretor Hospitalar do Galileu, Saulo Mengarda.

Todas as enfermarias da Unidade receberam a visita do grupo, que também passou pela recepção e corredores com muita música e encenações teatrais sobre os perigos do trânsito. Para a integrante do grupo “Voluntarização” e estudante de Enfermagem, Julia Sadala, a alegria que o grupo consegue levar para os pacientes é o que a motiva.  “Muitas pessoas estão em um momento tão depressivo por conta da doença e a gente chega nesses lugares e consegue fazer com que ela se distraia, não pense nos problemas, dê um sorriso. Pegamos esse momento para trazer felicidade”, explica.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of