1º Hospital da região norte do país adere ao Movimento Mundial de Segurança do Paciente

O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em Ananindeua (PA), é o primeiro estabelecimento de saúde da região norte do país e o terceiro da América do Sul a fazer parte do movimento “Patient Safety”, em tradução livre, “Segurança do Paciente”. A unidade se junta a outros mais de 4.500 hospitais internacionais comprometidos em reduzir as mortes evitáveis a zero até o ano de 2020 e, consequentemente, proporcionar melhorias na segurança do paciente.

O movimento “Patient Safety” é composto por 16 desafios e 30 soluções, em que os hospitais participantes estão submetidos. O HMUE, gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), adquiriu o desafio número um da lista que é o de criar uma cultura de segurança dentro da unidade.

A gerente do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP), Dociana Formigosa, explicou que a decisão de fazer parte ao movimento partiu de uma visão estratégica da direção do hospital. “Queremos avançar no desafio mais difícil de todos. Estamos em um patamar, no qual a cultura de segurança já é uma política interna e agora vamos para a consolidação”, apontou.

De acordo com a Dociana, o processo está relacionado ao envolvimento de todos os profissionais em uma cultura, que passa pela notificação de incidentes pelos colaboradores da unidade, tratativas, transparência em relação aos resultados do cuidado com o paciente, além de cultura justa, entre outros pontos. “Ainda que existam protocolos instituídos, é preciso que as pessoas se apropriem dele. O movimento vem para reafirmar o compromisso que já temos”, refletiu.

A estruturação da cultura de segurança do paciente no HMUE passa por um plano de ação que inclui implantação, revisão de mapas de processos, gerenciamentos de riscos, notificação de incidentes e um programa de educação permanente.

O diretor-geral da unidade, Itamar Monteiro, destacou a importância da adesão ao “Patient Safety” pelo Hospital Metropolitano. Segundo o gestor, ao assumir o compromisso de zerar mortes evitáveis, há um reforço no trabalho assistencial voltado ao paciente. “A adesão reafirma nosso trabalho na prevenção de incidentes e a nossa política de segurança do paciente”, comentou.

A gerente acrescenta que o envolvimento e sensibilização dos colaboradores e a alta liderança da unidade são pontos fundamentais para tornar o ambiente hospitalar seguro. “No ambiente seguro, a base é a transparência e a confiança estabelecida entre os trabalhadores, o estabelecimento de saúde e os pacientes”, explica.

Ela enfatiza que a unidade já trabalha com outros desafios do movimento, como a comunicação eficaz entre as equipes, combate às infecções hospitalares através do trabalho do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), prevenção de quedas, tratamento de sepse e o conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por infecção. Aliado a estes processos, também está o fortalecimento da autonomia do paciente com o envolvimento do usuário e de sua família nos detalhes de seu plano terapêutico.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of