O Xingu - Hospital na Amazônia consegue atender usuários do SUS com excelência | Pró-Saúde
Voltar para home
Imprensa

Na Mídia

O Xingu - Hospital na Amazônia consegue atender usuários do SUS com excelência

 

 

Ter unidades hospitalares de ponta para atender média e alta complexidades nos grandes centros urbanos é comum. Mas no interior do estado do Pará, o Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT) quebrou este paradigma, obtendo da Organização Nacional de Acreditação (ONA), a importante certificação de acreditação máxima, ONA 3 – Acreditado com Excelência. Esta certificação é concedida a hospitais que atendem a criteriosos processos de segurança do paciente, do colaborador e de gestão integrada. O anúncio foi feito no último dia 14.

A conquista é motivo de orgulho para os colaboradores do hospital, que trabalharam duro na implementação de complexos processos de conformidades e adequações exigidas pelas organizações credenciadoras, e também aos usuários e acompanhantes, que são beneficiados diretamente com a nova certificação. “O Hospital Regional é a minha segunda casa. Aqui tenho amigos e todo o apoio necessário para minha saúde física e mental. Os profissionais estão acima do profissionalismo, eles fazem algo a mais que a medicina pode dar. Isso é calor humano e não tem preço. Médicos, nutricionistas, enfermeiros, psicólogos, técnicos, a turma da limpeza, as recepcionistas, enfim, todos que trabalham aqui não medem esforços para o que o nosso bem- estar aconteça. Minha alegria é ver um hospital como esse, que é público, com tanta qualidade de pessoas e de estrutura, cuidando de todos sem fazer distinção, dentro da minha região, sem que eu precise me deslocar para outra cidade”, relatou com entusiasmo o aposentado, Luiz Djalma da Silva Ramos, de 61 anos, usuário da hemodiálise do HRPT.

Essa notícia trouxe um sentimento de orgulho a todos que fazem parte da unidade. “Nós percebemos a vontade que todos tem de ajudar ao próximo, independente do trabalho que realiza. Faço a entrega dos alimentos e tenho a preocupação de observar se a dieta agrada o usuário, se não, repasso para a nutricionista que de imediato busca uma solução para ajudá-lo e isso para mim é uma forma de carinho, o mesmo cuidado que a gente tem por alguém da família”, relatou a copeira, Lucia Helena dos Santos Costa.

Para o eletricista, Edmilson Santana da Silva, isso demonstra o entrosamento das equipes e a busca em oferecer sempre o seu melhor. “Não trabalho com colegas, trabalho com amigos, pessoas que me puxam para cima e multiplicam conhecimento comigo. Cada dia aprendo algo novo para ajudar os outros. Observo isso desde 2008 quando aqui entrei. Essa postura de fazer o bem sem olhar a quem vem desde a diretoria até o agente da portaria. Acho que dinheiro nenhum no mundo paga isso”, afirmou o profissional.

A estrutura física do hospital é uma das mais bonitas do interior do estado. “De longe a gente vê diferença. Creio que ninguém gosta de estar hospitalizado, mas confesso que o tratamento no regional faz a diferença. Não me deixaram faltar nada, desde alimentação até o local para dormir. Agora veja bem, eu que sou acompanhante já me tratam assim, imaginem o paciente. Estou encantada com o cuidado que eles têm com todos!, afirmou a agricultora e acompanhante, Rosilene Silva Evangelista, de 41 anos.

“Quando cheguei aqui não tinha documento e nem acompanhante, estava desacordado, mas eles cuidaram de mim como se cuida de um parente, de um pai, de um irmão. Perdi todos os meus documentos num incêndio e até isso a assistente social aqui do regional já providenciou para mim. Fico sem graça por não ter estudo e não conhecer mais palavras para agradecer tudo que eles fazem por mim diariamente”, relatou emocionado o usuário de 68 anos, o pedreiro, Marcos Ferreira de Lima.

Para o diretor geral da unidade, Edson Primo, a certificação é o reconhecimento de que é possível fazer saúde pública com eficiência e qualidade. “O compromisso com uma oferta de serviços de excelência de qualidade é o nosso foco na unidade. Nossos colaboradores dedicam-se para que os processos sejam cumpridos e, assim, o resultado garanta o bem-estar e a segurança dos nossos pacientes”, comentou o diretor.

O Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT) está situado na Amazônia Legal, foi inaugurado em 2006, pertence ao governo do Estado do Pará, gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). A unidade é referência em média e alta complexidades para aproximadamente 600 mil habitantes que fazem parte dos nove municípios da Região Integração do Xingu (Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Pacajá, Porto de Moz, Sen J Porfírio, Uruará, Vitória do Xingu). A unidade fica na cidade polo de Altamira, às margens da Transamazônica, a 754 quilômetros da capital, Belém.

 

As conquistas

Primeiro hospital público do Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil a receber uma certificação da Organização Nacional de Acreditação, em 2010. Em 2012, a unidade recebeu a certificação ONA 2 – Acreditado Pleno. Agora, em 2016, a certificação ONA3 – Acreditado com Excelência caracteriza a maturidade na qualidade do serviço.

<< voltar