Agência Pará - Classe Hospitalar do Hospital Metropolitano inicia o ano letivo | Pró-Saúde
Voltar para home
Imprensa

Na Mídia

Agência Pará - Classe Hospitalar do Hospital Metropolitano inicia o ano letivo

 

 

As pinturas expostas nos quadros na parede, retratando Belém a partir da temática dos 400 anos, são o resultado efetivo do trabalho desenvolvido pela Classe Hospitalar, mantida pelo Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Atendendo crianças internas que dão prosseguimento aos estudos em meio ao tratamento, a Classe Hospitalar promoveu a aula inaugural de 2016 na manhã desta sexta-feira (26).

Para a professora Leonice Cardoso, “é um momento de felicidade” ver os trabalhos feitos em 2015 expostos no início do ano letivo. “Há crianças que chegam aqui com claras dificuldades de ler e escrever. Na classe hospitalar elas têm a primeira iniciação à leitura. É outro resultado prático do nosso trabalho”, disse a professora, que tem seis anos de trabalho dedicados exclusivamente à Classe Hospitalar.

O projeto Classe Hospitalar faz em média 30 atendimentos por dia. Os alunos estão internados na ala de pediatria e no Centro de Tratamento de Queimados, vítimas de queimaduras e politraumatismos. Na Classe Hospitalar, trabalham-se os ciclos I e II do ensino fundamental, percorrendo todas as áreas de conhecimento, como raciocínio lógico matemático, o estudo da sociedade, códigos e linguagens. “Uma atividade contém várias áreas de ensinamento. Em um único momento, conseguimos abraçar todas as disciplinas”, explica Claudiene.

O projeto atende também outro tipo de público, como alunos de ensino médio que estão nas enfermarias do Hospital Metropolitano. Nesse caso, são atendidos por um professor de história, que se junta à equipe de três pedagogas em alguns dias da semana.

Criado em 2009, o programa oferece atendimento educacional especializado, atendimento no leito e assessoramento pedagógico. São aulas multisseriadas para atender o perfil diferente de cada aluno. Entre os diferenciais está o auxílio em uma temática atual, como explica a coordenadora da Classe Hospitalar no Hospital Metropolitano, Claudiene Beckman. A temática do ano letivo é “Educação em saúde: a base de uma vida saudável”.

“Nesse primeiro semestre, vamos trabalhar as ações preventivas para uma vida saudável, principalmente, em crianças que sofreram acidentes com queimaduras. No segundo semestre, vamos trabalhar com crianças traumatizadas. Os dois são temas em que o Hospital Metropolitano é referência no atendimento no Pará”, diz a coordeandora. Os alunos são matriculados normalmente, e cada um é avaliado em relatórios individuais.

Na abertura do ano letivo, além dos alunos, os pais também tiveram participações. A dona de casa Juanete do Socorro está há oito dias no hospital, acompanhando o filho L. H. A., que tem 8 anos e cursa a segunda série. Ela desconhecia o trabalho da Classe Hospitalar, mas entendeu a dinâmica rapidamente. “Eles aprendem e se descontraem”, avaliou ela sobre o comportamento do filho e dos demais. A mesma opinião é compartilhada pela doméstica Maria Helena Sousa, que está há um mês no hospital, acompanhando o filho D. C. C., de 9 anos. “O trabalho das professoras é importante. As crianças estão se divertindo e aprendendo. E nós também aprendemos”, garantiu. A família é do município Muaná.

A professora Leonice Cardoso falou sobre a emoção de trabalhar em uma sala de aula dentro de um hospital público referência para o Estado. “São pessoas com limitação temporária, mas que têm vontade de não perder o ano letivo. Aqui conseguimos reunir o profissional e o afetivo. Acabamos nos sensibilizando com a situação e vamos além do pedagógico. O produto é deles, mas a recompensa é nossa. Eles nos tornam melhores, como profissional e como pessoas”.

<< voltar